Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/01/2009 - 10h03

Casal hi-tech leva Kombi blogueira à Campus Party; veja

Publicidade

MARINA LANG
colaboração para a Folha Online

Alice tem um blog. Estamos falando da Campus Party, maior evento de tecnologia do país, então o único comentário possível sobre essa afirmação é: e daí? Mas, calma. Alice é uma Kombi 2006, com motor 1.4 Flex, totalmente personalizada e cheia de estilo. Ela está instalada entre milhares de barraquinhas azuis, no Centro de Exposições Imigrantes (zona sul de São Paulo).

"A organização da Campus Party Brasil autorizou a nossa entrada. Afinal, Alice também é blogueira e pagou pela sua entrada [com o estacionamento]", diz a designer Lyanne Rehder, 38, em uma conversa com a reportagem de dentro do automóvel.

Apu Gomes/Folha Imagem
Casal busca patrocínio para levar projeto da Kombi blogueira adiante; conexão à internet é feita por sistema 3G
Casal procura patrocínio na Campus Party para levar projeto da Kombi blogueira adiante; conexão à internet é feita por sistema 3G

Lyanne e o programador de sites Marcelo Maestrelli, 39, mantêm um blog de viagem, no qual narram os lugares pelos quais passam, as aventuras que vivem e as pessoas que conhecem.

Em seu diário virtual, Alice "narra" os acontecimentos pelas estradas brasileiras, desde as condições delas, até os atrativos da região na qual se encontram.

A Kombi está apenas há uma semana na estrada, mas já vislumbra ser uma microcelebridade da internet --no evento de tecnologia, busca patrocínio.

"Morávamos em Florianópolis, alugamos nossa casa e ficaremos com Alice até... quando der", diz Marcelo. "Nosso plano para viver de viagens é desenvolver sites em cidades pelas quais passamos." Elel explica que se conecta à internet com a tecnologia 3G --"mas é bem complicado no interior, a conexão é lenta porque geralmente não existe difusão de sinal".

Casamento hi-tech

Os donos de Alice se conheceram na 5ª série do ensino fundamental. Os anos se passaram e, como é comum, perderam o contato. "Em 2006", conta Lyanne, "estava com diversos problemas e me sentindo sozinha. Então fui procurar colegas da faculdade e da escola no Orkut. Marcamos um reencontro", relata. Nem assim o futuro casal se cruzou: acabaram indo em horários diferentes.

O contato só aconteceu mesmo depois de um colega em comum enviar fotos do encontro para o pessoal da escola. Os dois começaram a trocar mensagens até descobrirem que estudaram juntos. Como ela morava em São Paulo e ele em Florianópolis, conversaram por MSN, Skype, e-mails. Depois de muito "tec-tec-tec", decidiram ficar juntos. "Fui à casa dela [em São Paulo] um dia, às sete da manhã. Fomos embora juntos para Floripa", relata Marcelo.

A decisão de viajar veio de um planejamento de dois anos. Alice tem madeira certificada, energia solar e, como combustível, prefere álcool. Depois de toda essa história, o que a internet representa para eles? "Tudo", respondem, quase em uníssono. "Sem ela, nada disso seria possível."

Comentários dos leitores
daniel alves (9) 05/05/2009 21h35
daniel alves (9) 05/05/2009 21h35
A privatização seja qual for e uma vergonha para o Brasil culpa dos irresponsaveis fanfarroes de brasilia e da democracia mentirosa em q vivemos sem opinião
avalie fechar
daniel alves (9) 05/05/2009 21h25
daniel alves (9) 05/05/2009 21h25
Sr:Jose concordo com tudo q o sr disse mas dizer q o Brasil e um pais cominista e brincadeira se fosse o congresso nacional ja tinha sido desolvido pra colocar ordem de verdade no pais da alegria dos bancos capitalistas que sugam o trabalhador todos os dias sem opinião
avalie fechar
J. R. (218) 08/02/2009 12h05
J. R. (218) 08/02/2009 12h05
O Brasil é maior do que qualquer carteirinha de partido, as gerações antigas tentam ainda hoje disseminar este antigo ensinamento, mas a juventude aprendeu e não cai mais nessa, graças a Deus! Sr. Felipe Santos, para ter uma idéia, a Telefonica não substituiu até hoje os principais softwares da antiga Telesp (Tarifação, Banco de Assinantes! Isso significa que os equipamentos pouco mudaram! Realmente hoje se tem mais linhas disponíveis, mas o custo subiu muito, a ponto de viabilizar o celular, as pessoas não querem pagar uma assinatura obrigatória que inclui até hoje enrustido o antigo FNT (Fundo Nacional de Telecomunicações). É injusta e tem que cair. O neanderthal ACM (Malvadeza) quando esteve ministro não fez nada, e era só enxugar a roubalheira e ampliar o sistema que o preço ia cair! Além do que, o que interessava à sua querida ditadura que as pessoas falassem demais? Onde está a concorrência prometida? Não existe!!! Deus o livre se precisar usar um Telefone Público! Se 10% estiver em condição de uso é muito! Viva o celular e o voip, o telefone fixo foi transformado em linha de dados pré-histórica! Estamos atrasados no mínimo 20 anos ainda! Cadê os benefícios dessa "privadização"? Brasil acima de tudo! 27 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (25)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página