Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/02/2002 - 23h52

Conheça o mais jovem empresário da internet brasileira

Publicidade

RICARDO PERUCHI
Editor interino de Informática da Folha Online

Quando se tem 15 anos, a internet funciona como uma divertida ferramenta de entretenimento, sacanagem e aprendizado. Para Bruno Henrique Yoshimura, ela é algo mais. Bruno talvez seja um dos mais jovens empreendedores da web no mundo. Há oito meses ele criou o Link Grátis (www.linkgratis.com.br), um diretório de sites.

"Os sites de busca estão cada vez mais complicados para se encontrar a informação desejada. No Link Grátis, tudo está selecionado e organizado. Não se perde tempo", explica Bruno Yoshimura.

Divulgação

Bruno, 15, é a cara da internet

O Link Grátis contabiliza cerca de 800 sites avaliados e comentados, em 83 categorias, como bate-papo, empregos, baladas, governo, Linux e uma seção inteira para quem quer fazer sites encontrar informações, facilidades e rotinas prontas. Os links são ordenados por notas (atribuídas por Bruno usando estrelas), por idioma (os sites brasileiros vêm antes) e por número de acessos dentro de seu site, nessa ordem.

Lógica do negócio
Ele leva a sério todas as receitas perseguidas pela Nova Economia, como baixos custos operacionais, equipe enxuta, investimento na capacitação profissional, plano de carreira consistente, orçamento de marketing reduzido, parcerias estratégicas, modelo de negócios consistente e rápido alcance do equilíbrio financeiro.

Seu site custa US$ 20 por mês. É mantido apenas por ele mesmo. Para aperfeiçoar o site, ele aprendeu sozinho HTML e Cold Fusion, código usado pelos grandes portais e nem lembra quando usou um computador pela primeira vez.

Bruno cuidou da divulgação sozinho e não gastou um centavo. Começou incluindo sua página em todos os sites de busca e depois foi buscar parcerias com sites maiores. Trocou banners e links de igual para igual. Conseguiu alguma projeção na mídia, como a indicação de seu site, até que o negócio começou a andar sozinha, contando com o "marketing boca a boca".

"Antes a maior parte do tráfego vinha por referência, redirecionado de outros links, atualmente os usuários digitam direto o www.linkgratis.com.br", informa Bruno.

Conseguiu um investidor. Convenceu seu pai a patrocinar a hospedagem no Braslink, depois de utilizar sites de hospedagem gratuitos. Começou a receber e-mails de empresas interessadas em anunciar no site. Atualmente possui três anunciantes, o RG3 (empresa de hospedagem), o Tilms (site de cartões virtuais) e "Apague essa idéia" (filtro para parar de fumar). Gera uma receita mensal média de R$ 350 — segundo dados de fevereiro.

"Comecei há oito meses. Estou com servidor pago e fazendo divulgação há seis meses", conta Bruno.

Sua empresa é a DiskInternet.com, que está no nome de seu pai, o diretor financeiro do site Meu Grupo. Como quem sabe se aproveitar das relações estratégicas, fechou uma parceria com o site de grupos de discussão e oferece uma newsletter diária para os usuários cadastrados com o "site do dia".

Outras frentes
Ao contrário dos jovens executivos da web, Bruno não trabalha 14 horas por dia. Aluno do segundo ano do segundo grau do Colégio Palmares em Pinheiros São Paulo, ele se dedica duas horas por dia ao site quando está em período de aulas e quatro horas, nas férias.

De olho no mercado de trabalho, Bruno foi convidado pelo Meu Grupo para trabalhar na área de QA ("Quality Assurance" ou Controle de Qualidade). Aceitou e tornou-se o mais jovem consultor brasileiro. Recebe R$ 300 mensais por três horas de trabalho diárias, que devem resultar em relatório. Sua função é detectar erros e fazer sugestões para a melhoria do serviço.

Os números são animadores. Recebe uma média de 1.400 visitantes únicos por dia e computa 15 mil page views, das quais 7 mil são úteis (ou realizadas apenas em seu site e não após o redirecionamento.

Recebe diariamente 70 novos cadastros, 30 delas advindas da parceria com o Meu Grupo e 40 do Link Grátis. Possui uma base de 12 mil e-mails cadastrados. Ele oferece uma newsletter semanal com dicas e novidades da página.

Futuro
"Yahoo e Cadê trabalham apenas com a descrição da páginas, o que os torna imprecisos, O melhor é o Google que realiza a busca dentro das páginas e permite melhores resultados", avalia a futura concorrência.

Quando submetido à inevitável pergunta "o que você vai ser quando crescer?", Bruno assume sua idade e diz: "Não sei, né? Mas, com certeza, vou trabalhar com internet. Acho que vou prestar Ciências da Computação".

Quanto aos planos para o futuro de seu empreendimento, Bruno Yoshimura gostaria muito de ser hospedado por um grande portal, para zerar seus custos com hospedagem. "Queria começar a mais ganhar dinheiro", finaliza. Alguém duvida que ele consegue?
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página