Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/09/2007 - 17h50

Cerimônia oficializa início de obras de modernização de Canal do Panamá

Publicidade

da France Presse, em Panamá

O projeto de ampliação do Canal do Panamá, com a construção de um terceiro jogo de comportas ao custo de US$ 5,25 bilhões (mais de R$ 10 bilhões), começou oficialmente nesta segunda-feira em meio a comemorações da população local.

O presidente do Panamá, Martín Torrijos, ordenou a detonação de três cargas de explosivos na entrada do Canal no Pacífico, dando início aos trabalhos de escavação.

De acordo com a imprensa local e os organizadores do evento, cerca de 50 mil pessoas assistiram à cerimônia, que teve um discurso de Torrijos lembrando o histórico de conflitos e negociações com os Estados Unidos que levaram à recuperação do canal pelo país.

James Carter, ex-presidente dos Estados Unidos, assinou no dia 7 de setembro de 1977 os tratados do canal com o general Omar Torrijos, pai do atual presidente panamenho, que também compareceu à inauguração das obras.

Além dele, marcaram presença o presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, o presidente de Honduras, Manuel Zelaya, o presidente de El Salvador, Elías Antonio Saca, e o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega.

Segundo o administrador do Canal, Alberto Alemán, foram feito 120 estudos ao longo de cinco anos para elaborar o plano de modernização do Canal, que permitirá a passagem dos barcos Postpanamax, os maiores já fabricados para o transporte de mercadorias.

O Canal, por onde passam 5% do comércio marítimo mundial --entre 12.000 e 14.000 barcos anualmente--, foi construído entre os anos de 1904 e 1914 pelos Estados Unidos. Os trabalhos de ampliação devem ser concluídos em 2014.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página