Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
22/10/2009 - 12h00

Piratas somalis capturam navio cargueiro na costa africana

Publicidade

da Associated Press, em Nairóbi (Quênia)
da Folha Online

Um grupo de piratas somalis com armas automáticas capturaram um cargueiro na costa leste da África e mantém sob seu poder os 26 tripulantes, disseram autoridades Operação Atalanta, uma ação liderada pelos europeus para combater a pirataria.

O cargueiro de bandeira do Panamá MV Al Khaliq foi capturado a cerca de 320 km a oeste das ilhas Seychelles na manhã desta quinta-feira.

Noel Choong, que lidera o Escritório Marítimo Internacional contra a pirataria, disse que os piratas atacaram o navio utilizado pior indianos.

Choong disse que o sequestro demonstra uma nova tendência na pirataria somali: que tem como alvo embarcações distantes da costa e que utilizam armamento pesado.

Piratas sequestraram nesta semana outros dois navios, um navio graneleiro de Cingapura e um cargueiro chinês.

A Operação Atalanta afirmou ainda que os piratas tentaram, sem sucesso, sequestrar o MV Jolly Rosso, de bandeira italiana, na costa do Quênia nesta quinta-feira.

O Escritório Marítimo Internacional (IMB, em inglês) divulgou nesta quarta-feira relatório no qual aponta que os ataques de piratas a navios no mundo todo aumentaram em relação ao ano passado e chegaram a 306 nos primeiros nove meses de 2009, graças aos ataques mais frequentes no golfo de Áden e na costa da Somália, país que sofre com a falta de um governo efetivo e um resistente movimento rebelde.

Em um relatório divulgado em Kuala Lumpur, a representação da agência marítima da ONU (Organização das Nações Unidas) indicou que o número de ataques inclui os cem ocorridos em águas do golfo de Áden e os 47 registrados em frente à costa da Somália.

No mesmo período de 2008, a agência marítima contabilizou 293 ataques --dos quais 51 foram a navios que navegavam em águas do golfo e 12 que estavam no litoral somali.

Os ataques de piratas deste ano foram também mais violentos e um maior número deles --de 76 em 2008 para 176 em 2009-- envolveu armas.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página