Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
09/12/2004 - 10h21

Mais de 27 milhões de crianças vivem na pobreza no Brasil, diz Unicef

Publicidade

da Folha Online

Mais de 27 milhões de crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, e fazem parte de famílias que têm renda mensal de até meio salário mínimo. É o que revela o relatório O Estado da Criança no Mundo, divulgado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) nesta quinta-feira.

Aproximadamente 33,5% de brasileiros vivem nessas condições econômicas no país, e destes, 45% são crianças que têm três vezes mais possibilidade de morrer antes dos cinco anos, diz o relatório.

Apesar da pobreza, o documento revelou uma queda no índice de mortalidade das crianças no país. O Brasil aparece em 90º, ao lado do Peru e de Cabo Verde, no ranking que contabiliza as nações com maior número de menores mortos antes de completarem cinco anos.

Em 2003, 35 em cada mil crianças com idade menor de cinco anos morreram no Brasil.

Em 1960, por exemplo, 177 crianças em cada mil morriam no Brasil. Em 1990, o número ainda era alto: 60 morriam em cada mil crianças.

O primeiro colocado é a Serra Leoa, com 284 mortes para cada mil crianças. A Suécia e a Cingapura têm o número mais baixo de mortos, apenas três a cada mil.

Iniciativas

Projetos como a Bolsa Escola, do governo federal, e o combate ao trabalho infantil no país, além dos projetos de prevenção e tratamento do vírus HIV, foram elogiados no relatório.

O documento também cita o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), dizendo que é "uma das mais avançadas leis" do país, e destaca que o número de crianças que trabalham no Brasil caiu cerca 2,2 milhões entre os anos de 1995 e 2002.

O relatório também aponta alguns caminhos para a melhoria das condições de sobrevivência infantil no Brasil. O documento diz, por exemplo, que as crianças têm maiores chances de sobrevivência quando são as mães que gerenciam a renda familiar.

Também segundo o documento, cerca de 44 milhões de brasileiros vivem em condições sanitárias abaixo do mínimo esperado. Esse número é maior do que o do relatório do ano passado.

A situação é mais crítica na zona rural do país, onde apenas 35% da população tem acesso a serviços básicos sanitários. Nas áreas urbanas, este número sobe para 83% da população.

A precariedade no abastecimento de água é um dos problemas brasileiros em destaque no relatório. A situação é mais grave nas áreas rurais do país, onde apenas 58% da população tem acesso à água potável.

Aids

Mais de um bilhão de crianças, a metade dos menores do mundo, são castigadas pela pobreza, as guerras e a Aids, segundo o documento da Unicef.

O relatório adverte que a pobreza não se limita exclusivamente aos países em desenvolvimento. Além disso, diz que em 11 dos 15 países mais industrializados do mundo "a proporção de crianças que vivem em lugares de baixa renda aumentou nos últimos 10 anos."

Segundo a Unicef, as crianças representam "quase a metade dos 3,6 milhões de mortos nas guerras desde 1990."

A Unicef diz que em 2010, mais de 18 milhões de menores de 18 anos terão perdido um dos pais ou os dois por causa da Aids.

"Até agora, a América Latina não foi atingida pela epidemia generalizada do vírus HIV, mas corre grandes riscos", diz o documento.

O Brasil registrou níveis de infecção acima dos 60% entre usuários de drogas injetáveis. No Caribe, o vírus se propaga entre a população em geral e, no Haiti, o país mais atingido, a taxa de incidência entre adultos é de cerca de 5,6%.

Com agências internacionais

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre a mortalidade infantil
  • Leia o que já foi publicado sobre a Unicef
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    TV LED TV LED HDMI, Full HD a partir de R$ 899,90

    Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

    Home Theater | Tênis | Mais...

    Voltar ao topo da página