Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/09/2005 - 15h29

Conservadores falham em obter apoio do Partido Verde na Alemanha

Publicidade

da Folha Online

O Partido Verde encerrou nesta sexta-feira as negociações com Angela Merkel, líder da oposição alemã, para a formação de um governo de coalizão.

A CDU (União Democrata Cristã), de Merkel, dispõe agora apenas do SPD (Partido Social Democrata), do atual chanceler, Gerhard Schröder, como um possível parceiro para a formação de um novo governo.

A decisão do Partido Verde fez crescer a pressão para que Merkel e Schröder resolvam a disputa pelo cargo de chanceler e dêem fim à crise política no país.

Representados por Merkel, os conservadores derrotaram o partido de Schröder nas eleições parlamentares do último domingo (18). No entanto, não conseguiram obter a maioria no Parlamento.

Diferenças

Merkel se reuniu na manhã desta sexta-feira com os verdes, na tentativa de formar um governo de coalizão.

No entanto, os verdes -- que são parceiros do atual governo de Schröder-- derrubaram as especulações de que poderiam apoiar Merkel devido a profundas diferenças políticas.

"As diferenças são muito grandes", disse Merkel aos repórteres depois após a reunião, em um ponto próximo do prédio do Parlamento. "Eu gostaria de ter aprofundado as conversas, mas os verdes têm uma opinião diferente."

O vice-presidente do Partido Verde, Reinhard Buetikofer, afirmou ter questionado Merkel e Edmund Stoiber, líder da União Democrata Cristã (CSU) sobre as intenções de ambos em relação à continuidade de sua política "neoliberal e antiecológica."

"Merkel e Stoiber não nos deram a resposta e, por isso, não vemos possibilidade de dar prosseguimento às conversas", afirmou Buetikofer.

Líderes verdes citaram os planos de Merkel de manter estações nucleares alemãs em funcionamento e sua rejeição à entrada da Turquia na União Européia (UE) como os maiores obstáculos para a formação de uma coalizão.

Especulações

Analistas afirmam que tanto Merkel quanto Schröder devem desistir da Chancelaria. Outros dizem acreditar que Schröder pode tentar organizar novas eleições.

O atual líder alemão argumenta que a população rejeitou Merkel como chanceler, já que a CDU obteve apenas 27,8% dos votos.

No entanto, se forem contabilizados os votos da CSU --parceira da CDU-- os conservadores obtiveram 35,2% dos votos --contra 34,3% do partido de Schröder.

"Ambos os partidos fizeram campanha por amplas reformas econômicas e sociais e perderam", diz o editorial do jornal alemão "Sueddeutsche Zeitung" nesta quarta-feira. "Neste Parlamento, apenas um conjunto definido e bastante prático de reformas poderá ser realizado."

Com agências internacionais

Especial
  • Enquete: quem será o próximo chanceler alemão?
  • Leia o que já foi publicado sobre Gerhard Schröder
  • Leia o que já foi publicado sobre Angela Merkel
  • Leia cobertura completa sobre as eleições na Alemanha
  • Leia o que já foi publicado sobre as eleições legislativas alemãs
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página