Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
26/09/2005 - 19h35

Merkel faz exigências para formar governo de coalizão na Alemanha

Publicidade

da Folha Online

A líder da CDU (União Democrata Cristã), Angela Merkel, 51, afirmou nesta segunda-feira que rejeita as negociações para a formação de um governo de coalizão com o SPD (Partido Social Democrata) do atual chanceler, Gerhard Schröder, se não for apontada para ocupar a Chancelaria.

Merkel impôs a condição após uma reunião da CDU em Berlim, dizendo à imprensa que suas exigências para a coalizão "incluem o reconhecimento [do SPD] de que os conservadores são o partido da maioria e têm a responsabilidade de indicar o chanceler."

No entanto, o partido de Schröder --que foi derrotado pelos conservadores por uma pequena diferença nas eleições legislativas--reiterou que pretende mantê-lo na Chancelaria.

"Nós estamos indo para as negociações com o objetivo de governar com Schröder como chanceler e de aprovar o maior número possível de propostas de nosso programa de governo", afirmou o secretário-geral do SPD, Klaus Uwe Benneter, logo após as declarações de Merkel.

Nem a CDU nem o SPD conseguiram maioria parlamentar nas eleições, o que os força a negociar entre si e formar o que se chama de "grande coalizão" --aliança que não acontece na Alemanha desde a década de 60.

A principal divergência das negociações é a respeito de quem ocupará a Chancelaria.

Reunião

Os partidos rivais se reuniram na última quinta-feira (22) e devem conversar novamente na próxima quarta-feira (28), mas ambos os lados descrevem as discussões de "exploratórias".

Segundo Merkel, antes que negociações sérias possam ocorrer, seu partido quer chegar a um consenso com a SPD a respeito das principais questões a serem resolvidas no país. A CDU também pretende se certificar que o SPD está preparado para implementar políticas que "renovem" a Alemanha.

Schröder, 61, afirmou neste domingo que é a favor da coalizão como partido de Merkel, mas reiterou que as conversas devem girar em torno de questões políticas antes de se definir um nome para a Chancelaria.

Com agências internacionais

Especial
  • Enquete: quem será o próximo chanceler alemão?
  • Leia o que já foi publicado sobre Gerhard Schröder
  • Leia o que já foi publicado sobre Angela Merkel
  • Leia cobertura completa sobre as eleições na Alemanha
  • Leia o que já foi publicado sobre as eleições legislativas alemãs
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página