Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/09/2005 - 20h13

Alemães querem mais reformas, diz pesquisa

Publicidade

da Efe, em Berlim

Um total de 84% dos alemães é favorável à realização de mais reformas na Alemanha, tanto em nível estatal como social, segundo os resultados de um estudo feito pela Fundação Bertelsmann publicado nesta sexta-feira.

A maioria considera que as prioridades na hora de fazer reformas são as voltadas para o bem-estar das crianças (89%), a redução da burocracia e a luta contra o envelhecimento da população (ambos com 74%).

As reformas realizadas nos últimos anos pelo governo de Gerhard Schröder, formado pelo Partido Social-Democrata Alemão (SPD) e pelos Verdes, passaram, no entanto, despercebidas entre os alemães.

Um total de 44% dos alemães não acha que tenham sido feitas reformas substanciais nos últimos cinco anos.

Os responsáveis pelo estudo da Bertelsmann atribuem isso à falta de informação, motivo pelo qual recomendam que o governo melhore o diálogo com os cidadãos.

Na hora de analisar as reformas realizadas, as que chamaram mais a atenção dos alemães foram a reforma do mercado de trabalho (38%), a do sistema de saúde (14%) e a do sistema educativo (13%).

Especial
  • Leia cobertura sobre os 15 anos da reunificação alemã
  • Veja galeria de imagens sobre a reunificação alemã
  • Leia o que já foi publicado sobre a antiga Alemanha Oriental
  • Leia o que já foi publicado sobre a antiga Alemanha Ocidental
  • Leia o que já foi publicado sobre o Muro de Berlim
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página