Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/11/2005 - 17h07

Emirados Árabes usará hormônio em homossexuais masculinos

Publicidade

da Reuters, em Dubai

Homens presos em uma cerimônia descrita pelo governo dos Emirados Árabes como um "casamento gay" terão que fazer uma terapia com hormônios. O Departamento americano de Estado condenou o tratamento médico forçado aos casais gays no país --de tradição muçulmana-- e disseram que as autoridades devem seguir padrões legais internacionais.

Nesta terça-feira, o porta-voz do Departamento americano de Estado, Sean McCormack, afirmou: "os Estados Unidos condenam a prisão dos casais gays nos Emirados Árabes, e um comunicado do Ministério árabe do Interior dizendo que eles receberão tratamento médico com hormônios".

No início deste mês, a polícia invadiu um hotel nos Emirados Árabes onde estavam 26 homens --todos homossexuais-- de origem asiática e árabe em uma festa. Ao menos 12 deles estavam vestidos como mulheres e usando maquiagem no que, segundo policiais, parecia ser um casamento.

O coronel Najm al Sayar disse que os estrangeiros iriam ser deportados para seus países de origem. Todos estavam presos em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes.

"Eles receberão tratamento psicológico, médico e sociológico. Alguns deles tomarão hormônios masculinos porque já usaram hormônios femininos", afirmou al Sayar. Ele também disse que esse tipo de comportamento era "imoral".

A homossexualidade é proibida na maior parte dos países árabes.

Com agências internacionais

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre os Emirados Árabes
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página