Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/08/2006 - 09h18

Pobreza em Israel afeta 1,6 milhão de pessoas, diz jornal

Publicidade

da Efe, em Jerusalém

A pobreza na sociedade israelense aumentou e afeta atualmente 1,6 milhão dos mais de 7 milhões de cidadãos, segundo a edição de nesta terça-feira do jornal "Yedioth Ahronoth".

Segundo o jornal, que antecipa um estudo sobre o nível de pobreza em 2005 elaborado pelo organismo da Previdência Social e que será publicado amanhã, Israel mantém a expansão da pobreza.

O artigo informa que apesar do aumento durante o último ano, a alta foi moderada em comparação com os anos anteriores.

Este relatório é publicado seis meses depois do anúncio de outro sobre a situação da miséria em Israel em 2004 e na primeira metade de 2005, que revelou a existência de 1,58 milhão de pobres.

De acordo com o relatório, que será oficialmente divulgado amanhã, entre os israelenses que vivem em condições de pobreza há 750 mil crianças.

O aumento do auxílio do governo aos idosos e às famílias com um só dos pais, e a queda do desemprego frearam levemente o crescimento global registrado durante os últimos anos.

No entanto, os mais pobres continuam sendo as famílias numerosas, cujo número aumentou e que sofrem com os cortes no Orçamento do governo às ajudas para os menores.

Além disso, as diferenças entre as classes sociais continuam aumentando.

Especial
  • Leia cobertura completa sobre o conflito no Oriente Médio
  • Leia o que já foi publicado sobre pobreza
  • Leia o que já foi publicado sobre Israel
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página