Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

20/12/2009 - 02h30

PSDB, Waldomiro, Pedágios, Holocausto, Censura, Divórcio

da Folha Online

PSDB

"A decisão de Aécio Neves e as análises dos colunistas e leitores da Folha deixam de lado um fator importante: José Serra não se elege pela sua arrogância, sede de poder, centralização de ações e fator desaglutinador. Em São Paulo conseguiu sucesso como governador por total falta de oposição consolidada à altura. Mesmo uma chapa Serra-Aécio não triunfará, e o mineiro sabe disso. O contrário, sim, seria a grande novidade política para 2010, mas o governador paulista não se sujeitará a tamanha 'humilhação' como vice. Os tucanos perderão por si mesmos, e Serra continuará com a pecha de nunca concluir um mandato."

ADILSON ROBERTO GONÇALVES (Lorena, SP)

-

Waldomiro

"Depois de seis anos o sr. Waldomiro Diniz foi condenado em primeira instância a pagar uma multa em espécie, irrisória para eles, de R$ 50 mil num negócio de R$ 10 milhões. Como podemos ter esperanças de um dia poder punir alguém envolvido em corrupção, não com o pagamento em espécie, mas colocando o indivíduo na cadeia? Imaginem quanto tempo teremos de esperar para a conclusão deste processo e o dos dólares na cueca, mensalões, pantonegates etc. Acorda, Justiça Federal."

OSMAR GRACIOSO LOUREIRO (Cravinhos, SP)

-

Pedágios

"O leitor Caio Flávio Serette ('Painel do Leitor', 18/12) elucida muito bem a questão do pernicioso sistema de pedágios que tanto onera o cidadão brasileiro. Nas visitas que fiz ao Estado da Califórnia, viajei do norte ao sul e concluí que naquele país quase não se faz a troca de amortecedores e outros componentes da suspensão dos veículos durante a vida útil destes. A pavimentação é realmente de cair o queixo. Parece que estamos trafegando por uma quadra de basquete. A quantidade de malha viária também é impressionante.
Temos no Brasil o quilômetro rodado mais caro e o mais perigoso do mundo. Sendo assim, o pedágio é mais uma evasiva adotada pelo governo para o não comprometimento com o transporte, um dos principais pilares de um país. A lógica resume-se no fato de, quanto mais pedágios e maiores os preços, menor será a circulação de veículos e a necessidade de investimentos e construções de novas estradas, que é o que tanto falta neste país de proporções continentais. Pagamos impostos altíssimos e não houve qualquer abatimento destes com as privatizações das estradas. Considerando inclusive o preço absurdo que pagamos pelo combustível fóssil (o mais poluente do mundo) no Brasil, podemos concluir o quanto é custoso nosso transporte rodoviário, entre outros. Com a fortuna arrecadada com esses assaltos legalizados (pedágios) daria até para construir estradas de platina com acidentes quase zero."

OTTO MACK JUNQUEIRA, SEGUNDO (Jaboticabal, SP)

*

"Que o sr. Caio Flávio Serette ('Painel do Leitor', de 18/12) venha dirigir nas 'estradas' dos outros Estados para sentir o quão bom é ser motorista em São Paulo. De Divinópolis a Belo Horizonte pago em um único pedágio a quantia de R$ 3,50 num percurso de 120 km, em estrada não duplicada e toda remendada. Venha, sr. Caio Flávio, e depois faça seu julgamento."

EDUARDO EUSTAQUIO LAMOUNIER MESQUITA (Divinópolis, MG)

-

Holocausto

"Há tempos corre pela internet um documento a respeito do Holocausto com a seguinte frase atribuída ao general Dwight D. Eisenhower, comandante supremo das Forças Aliadas durante a Segunda Guerra Mundial: "Que se tenha o máximo de documentação. Façam filmes, gravem testemunhos porque há de vir um dia em que algum idiota se vai erguer e dizer que isto nunca aconteceu". Fatos recentes, como declarações de alguns presidentes e clérigos, e o recente roubo do símbolo maior do cinismo e sordidez nazista, o cartaz que dizia 'Arbeit Macht Frei' ('O trabalho liberta'), que ficava na porta do campo de extermínio de Auschwitz, reforça a ideia que nunca deveremos nos esquecer desta tragédia e lembrá-la à exaustão para as futuras gerações, para que tal barbárie nunca mais se repita."

LUIZ NUSBAUM (São Paulo, SP)

-

Censura

"Não entendi o que Fernando Sarney quis dizer com o não ter sido objetivo dele restringir a liberdade de imprensa. O que mais poderia resultar da sua ação contra 'O Estado de S. Paulo', defendida por seus advogados em todos os tribunais, a não ser a lamentável censura sofrida pelo jornal, que já dura 141 dias? Vamos esperar para ver o que está por trás dessa sua decisão e aguardar ansiosos por notícias atualizadas da Operação Faktor, que é o novo nome da Operação Boi Barrica."

RONALDO GOMES FERRAZ (Rio de Janeiro, RJ)

-

Divórcio

"Após ler a matéria 'Divórcio com festa' (13/12, pág. C10), concluí que só há uma pessoa com reais motivos para comemorar: o ex-marido. O festival de futilidades e grosserias idealizadas pela moça causa surpresa, não obstante a consciência da aparentemente infinita capacidade do ser humano para ser ridículo."

REINALDO DEL DOTORE (São Paulo, SP)

-

 

EnqueteVeja +

'Rolezinhos'

A polícia deve impedir os "rolezinhos" nos shoppings paulistanos?

Publicidade

Acompanhe a Folha no Twitter

Publicidade

Livraria da Folha

Clube De Compras Dallas (DVD)

Clube De Compras Dallas (DVD)

Jean-Marc Vallée

Comprar
O Réu e o Rei

O Réu e o Rei

Paulo Cesar de Araújo

Comprar
Mussum Forévis

Mussum Forévis

Juliano Barreto

Comprar
Cinquenta Anos Esta Noite

Cinquenta Anos Esta Noite

José Serra

Comprar

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

TV LED TV LED Smart, HDMI, Full HD a partir de R$ 899,90

Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página