Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

20/12/2009 - 02h30

PSDB, Waldomiro, Pedágios, Holocausto, Censura, Divórcio

da Folha Online

PSDB

"A decisão de Aécio Neves e as análises dos colunistas e leitores da Folha deixam de lado um fator importante: José Serra não se elege pela sua arrogância, sede de poder, centralização de ações e fator desaglutinador. Em São Paulo conseguiu sucesso como governador por total falta de oposição consolidada à altura. Mesmo uma chapa Serra-Aécio não triunfará, e o mineiro sabe disso. O contrário, sim, seria a grande novidade política para 2010, mas o governador paulista não se sujeitará a tamanha 'humilhação' como vice. Os tucanos perderão por si mesmos, e Serra continuará com a pecha de nunca concluir um mandato."

ADILSON ROBERTO GONÇALVES (Lorena, SP)

-

Waldomiro

"Depois de seis anos o sr. Waldomiro Diniz foi condenado em primeira instância a pagar uma multa em espécie, irrisória para eles, de R$ 50 mil num negócio de R$ 10 milhões. Como podemos ter esperanças de um dia poder punir alguém envolvido em corrupção, não com o pagamento em espécie, mas colocando o indivíduo na cadeia? Imaginem quanto tempo teremos de esperar para a conclusão deste processo e o dos dólares na cueca, mensalões, pantonegates etc. Acorda, Justiça Federal."

OSMAR GRACIOSO LOUREIRO (Cravinhos, SP)

-

Pedágios

"O leitor Caio Flávio Serette ('Painel do Leitor', 18/12) elucida muito bem a questão do pernicioso sistema de pedágios que tanto onera o cidadão brasileiro. Nas visitas que fiz ao Estado da Califórnia, viajei do norte ao sul e concluí que naquele país quase não se faz a troca de amortecedores e outros componentes da suspensão dos veículos durante a vida útil destes. A pavimentação é realmente de cair o queixo. Parece que estamos trafegando por uma quadra de basquete. A quantidade de malha viária também é impressionante.
Temos no Brasil o quilômetro rodado mais caro e o mais perigoso do mundo. Sendo assim, o pedágio é mais uma evasiva adotada pelo governo para o não comprometimento com o transporte, um dos principais pilares de um país. A lógica resume-se no fato de, quanto mais pedágios e maiores os preços, menor será a circulação de veículos e a necessidade de investimentos e construções de novas estradas, que é o que tanto falta neste país de proporções continentais. Pagamos impostos altíssimos e não houve qualquer abatimento destes com as privatizações das estradas. Considerando inclusive o preço absurdo que pagamos pelo combustível fóssil (o mais poluente do mundo) no Brasil, podemos concluir o quanto é custoso nosso transporte rodoviário, entre outros. Com a fortuna arrecadada com esses assaltos legalizados (pedágios) daria até para construir estradas de platina com acidentes quase zero."

OTTO MACK JUNQUEIRA, SEGUNDO (Jaboticabal, SP)

*

"Que o sr. Caio Flávio Serette ('Painel do Leitor', de 18/12) venha dirigir nas 'estradas' dos outros Estados para sentir o quão bom é ser motorista em São Paulo. De Divinópolis a Belo Horizonte pago em um único pedágio a quantia de R$ 3,50 num percurso de 120 km, em estrada não duplicada e toda remendada. Venha, sr. Caio Flávio, e depois faça seu julgamento."

EDUARDO EUSTAQUIO LAMOUNIER MESQUITA (Divinópolis, MG)

-

Holocausto

"Há tempos corre pela internet um documento a respeito do Holocausto com a seguinte frase atribuída ao general Dwight D. Eisenhower, comandante supremo das Forças Aliadas durante a Segunda Guerra Mundial: "Que se tenha o máximo de documentação. Façam filmes, gravem testemunhos porque há de vir um dia em que algum idiota se vai erguer e dizer que isto nunca aconteceu". Fatos recentes, como declarações de alguns presidentes e clérigos, e o recente roubo do símbolo maior do cinismo e sordidez nazista, o cartaz que dizia 'Arbeit Macht Frei' ('O trabalho liberta'), que ficava na porta do campo de extermínio de Auschwitz, reforça a ideia que nunca deveremos nos esquecer desta tragédia e lembrá-la à exaustão para as futuras gerações, para que tal barbárie nunca mais se repita."

LUIZ NUSBAUM (São Paulo, SP)

-

Censura

"Não entendi o que Fernando Sarney quis dizer com o não ter sido objetivo dele restringir a liberdade de imprensa. O que mais poderia resultar da sua ação contra 'O Estado de S. Paulo', defendida por seus advogados em todos os tribunais, a não ser a lamentável censura sofrida pelo jornal, que já dura 141 dias? Vamos esperar para ver o que está por trás dessa sua decisão e aguardar ansiosos por notícias atualizadas da Operação Faktor, que é o novo nome da Operação Boi Barrica."

RONALDO GOMES FERRAZ (Rio de Janeiro, RJ)

-

Divórcio

"Após ler a matéria 'Divórcio com festa' (13/12, pág. C10), concluí que só há uma pessoa com reais motivos para comemorar: o ex-marido. O festival de futilidades e grosserias idealizadas pela moça causa surpresa, não obstante a consciência da aparentemente infinita capacidade do ser humano para ser ridículo."

REINALDO DEL DOTORE (São Paulo, SP)

-

 

EnqueteVeja +

'Rolezinhos'

A polícia deve impedir os "rolezinhos" nos shoppings paulistanos?

Publicidade

Acompanhe a Folha no Twitter

Publicidade

Livraria da Folha

Manual Antidrogas

Manual Antidrogas

Gustavo Teixeira

Comprar
Aparecida

Aparecida

Rodrigo Alvarez

Comprar
A Maldade Humana

A Maldade Humana

Beatriz Breves e Virgínia Sampaio

Comprar

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Geladeiras Geladeiras Frost Free, Duplex, a partir de R$ 862,20

Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

Celulares | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página