Publifolha
27/06/2009 - 10h40

Conheça festas para "ursos" e lésbicas em São Paulo

da Folha Online

São Paulo tem uma das maiores indústrias de entretenimento para o público GLS na América Latina. São dezenas de bares, boates, saunas, cinemas e festas temáticas. Mesmo nas baladas "heteros", as pessoas revelam tolerância crescente à presença gay.

O "Guia GLS São Paulo" (Publifolha) traz informações sobre onde e como se divertir --seja em clubes noturnos, karaokês ou festas temáticas.

A publicação classifica as baladas de acordo com o público frequentador, apresenta informações básicas sobre os hábitos do público GLS e descrições detalhadas dos ambientes.

Veja abaixo trechos do "Guia GLS São Paulo" que revelam opções de festas para os "ursos" (gays acima do peso) e para lésbicas.

Atenção: o texto reproduzido abaixo mantém a ortografia original do livro e não está atualizado de acordo com as regras do Novo Acordo Ortográfico. Conheça o livro "Escrevendo pela Nova Ortografia".

*

PARA URSOS

Gays acima do peso, apelidados de "ursos", e seus admiradores (caçadores ou "chasers") promovem encontros em bares, boates e saunas de São Paulo. São festas, como a Ursound (com periodicidade mensal), que mostram outro perfil do público GLS.

Divulgação
Guia apresenta informações para o público GLS sobre a cidade de São Paulo
Guia apresenta informações para o público GLS na cidade de São Paulo

Os ursos se identificam por outros padrões comportamentais. Com características mais másculas, eles são menos preocupados em usar roupas de grife e evitam cuidados excessivos com o corpo. Além disso, são mais ecléticos com a música, evitando ficar restritos ao bate-estaca.

Durante a Parada Gay, o grupo leva uma bandeira com o símbolo de uma pata de urso. Animadas pelos DJs Edu Atlantis e Daniel MS, a Ursound completou dois anos em abril de 2007. O som da festa Ursound passeia pelo pop, disco, rock, trash e nostalgia dos anos 70, 80 e 90 (www.ursound.com.br).

*

PARA AS MENINAS

O público lésbico se encontra na capital em festas temáticas, como Chá com Bolachas e Tête-à-Tête, que são realizadas em edições mensais, geralmente nas noites de sábado. As baladas são animadas por DJs e também por bandas com meninas.

O Chá com Bolachas é a festa lésbica mais tradicional da cidade. Começou em fevereiro de 2002 por iniciativa de duas amigas, as DJs Barbie da Silva e A Vertiginosa. A balada investe num visual descolado, com foco em vertentes da música eletrônica, e não na MPB.

Entre as freqüentadoras, domina uma estética arrumadinha com toques alternativos. Para afugentar o público masculino, o ingresso para homem costuma ser o triplo do valor da entrada paga pelas meninas com nome na lista. O site da festa (www.chacombolachas.com.br) traz seus criativos flyers. O público da festa Tête-à-Tête é formado, no geral, por lésbicas assumidas da cidade e brinca com o repertório de expressões do universo feminino homossexual.

Seus flyers dizem que a balada é orgulhosamente apresentada pela "Santa Igreja Lesbiteriana". O nome da festa tem a ver com a gíria sobre sexo lésbico ("teta com teta"), com a expressão francesa ("cara a cara") e com o título de um livro sobre Sartre e Simone de Beauvoir. A Tête-à-Tête começou em setembro de 2006 e atrai principalmente mulheres com visual andrógino.

No circuito das jovens roqueiras, as DJs Miss Scania e Pussylovers despontam como atrações da noite lésbica na festa Dykes on X, que tem como uma das organizadoras Mari Aranha, vocalista da banda Miss Junkie.

Os shows pela cidade da dupla Dos Tortilleras, formada por Vange Leonel e Cilmara Bedaque, também atraem muitas lésbicas.

Com um público mais misturado, entre meninos e meninas, a Cio também é outra festa tradicional na cidade. Começou no final dos anos 90, quando seu foco era a música dos anos 80, voltada apenas para meninas gays.

Criada pela promoter Glaucia ++, figura famosa na noite gay de São Paulo, a Cio diversificou seu som e passou a atrair também os meninos.

Atualmente é uma das principais noites do clube D'Edge (Al. Olga, 170, Barra Funda, -3667-8334), sempre às quartas-feiras.

"Guia GLS São Paulo"
Autor: Sérgio Ripardo
Editora: Publifolha
Páginas: 136
Quanto: R$ 34,90
Onde comprar: Nas principais livrarias, pelo telefone 0800-140090 ou no site da Publifolha