São Paulo, sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Igreja pratica "assédio contra a mídia", diz ONG

DA SUCURSAL DO RIO

A ONG Repórteres sem Fronteiras, que desde 1985 atua internacionalmente em defesa da liberdade de imprensa, manifestou preocupação com o excesso de ações judiciais em nome de fiéis da Igreja Universal contra jornais brasileiros.
"A liberdade de imprensa implica, evidentemente, dar a possibilidade a qualquer pessoa que se considere injuriada ou difamada de reclamar. Mas uma coisa é protestar, outra muito diferente é incorrer numa autêntica perseguição judicial. Por que razão a Igreja Universal do Reino de Deus não iniciou, como pessoa moral, processo único contra cada um dos diários?", afirma a nota.
O texto diz ainda que a "multiplicação de ações individuais parece obedecer a uma verdadeira estratégia de assédio contra a mídia. O argumento religioso não tem nenhum valor no litígio que opõe a Iurd à Folha de S.Paulo. Expressamos todo o nosso apoio aos três jornais em causa [Folha, "A Tarde" e "Extra"]". A Folha é processada por 58 fiéis da igreja.
A Iurd entrou com ação contra o "Extra" e a jornalista Gabriela Moreira pela divulgação de uma sentença da Justiça goiana condenando a igreja a devolver doação feita por uma fiel e a pagar R$ 10 mil em indenização.
A igreja considerou o conteúdo da matéria difamatório e pede uma indenização por danos morais. O "Extra" noticiou o caso em que Gilmosa dos Santos doou um carro à igreja a pedido da filha, Edilene, que teria sido coagida a fazer a doação. Cabe recurso à decisão.


Texto Anterior: Ministro do STF suspende parte da Lei de Imprensa
Próximo Texto: Serra diz que Lei de Imprensa é "produto genuíno da ditadura"
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.