Campinas, Sábado, 05 de Fevereiro de 2000


Envie esta notícia por e-mail para
assinantes do UOL ou da Folha

Próximo Texto | Índice

SAÚDE
Fila para fazer exame de ultra-sonografia na unidade de saúde do Jardim São José tem 1.500 pessoas
Paciente espera até nove meses para fazer exame em posto de Campinas

RAQUEL LIMA
Marcos Peron
A trabalhadora rural Adirce Silva, 44, após atendimento na Unidade de Saúde do São José


free-lance para a Folha Campinas

Pelo menos 1.500 pacientes estão sendo obrigados a esperar até nove meses para realizar consultas médicas e exames na Unidade de Saúde São José, na região sul de Campinas.
A maior demanda por exames é registrada no setor de ultra-sonografia, onde cerca de 500 pacientes esperam por atendimento.
Segundo o coordenador da unidade de saúde, João Antunes, entre as fichas de espera está a de uma paciente, grávida, que pediu exame de ultra-sonografia em 5 de maio do ano passado e ainda não foi atendida, nove meses depois de ter feito a solicitação.
"A situação é crítica aqui na unidade. Talvez pudesse melhorar se fosse realizado um mutirão de atendimento", disse.
Outro setor afetado é o de ortopedia. Cerca de 300 pessoas aguardam atendimento médico por até sete meses, segundo o coordenador.
De acordo com Antunes, pelo menos 20 novos pacientes procuram a unidade diariamente em busca de consultas.
Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a unidade do São José atende cerca de 50 mil pessoas que moram nas imediações do bairro.
O centro realiza 500 consultas por dia, segundo Antunes.
Um dos fatores apontados pelo coordenador da unidade para o agravamento da situação foram as sucessivas greves de servidores. Segundo ele, isso provocou o aumento da demanda nos últimos seis meses.
"Como nós não aderimos a todas às paralisações, recebemos pacientes de outras unidades de saúde, o que aumentou o tempo de espera", afirmou.
Outro fator prejudicial ao atendimento na unidade, segundo Antunes, foi o período de férias dos médicos das especialidades, entre dezembro e janeiro.
"Agora estamos pedindo para que os médicos avaliem as fichas dos pacientes e passem na frente os casos considerados mais graves", afirmou.

Persistência
A trabalhadora rural Adirce Silva Machado, 44, grávida de seis meses, disse que esperou cerca de um mês para conseguir marcar o exame de ultra-sonografia.
"Só consegui porque o meu marido vinha todos os dias aqui insistir com o centro de saúde", disse a trabalhadora rural.
O aposentado Antônio Francisco da Costa, 62, esteve ontem na unidade do São José para verificar se a consulta com o cardiologista estava marcada.
"Faz mais de dois meses que aguardo. Às vezes, sinto algumas dores no lado esquerdo do peito", afirmou. Costa disse que não procura outro posto de saúde porque o do São José é o mais próximo de casa.
A Secretaria da Saúde informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que adquiriu cinco aparelhos de ultra-sonografia (leia texto ao lado).
A assessoria de imprensa da prefeitura informou que os pacientes de Campinas que precisam passar por consultas e realizar exames têm, além da unidade do São José, outras três opções de atendimento.
As alternativas são o Hospital de Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), no Distrito de Barão Geraldo, o Hospital Celso Pierro da PUC-Campinas (Pontifícia Universidade Católica) e o Hospital Municipal Mário Gatti.


Próximo Texto: Outro lado: Secretaria diz que causa são greves e demissões
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha.