Campinas, Domingo, 05 de Março de 2000


Envie esta notícia por e-mail para
assinantes do UOL ou da Folha

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

FRUSTRAÇÃO
Estrela d'Alva fica fora do desfile

Escola de 50 anos é a mais antiga da cidade
free lance para a Folha Campinas

A escola de samba Estrela d'Alva, a mais antiga de Campinas e uma da mais velha do país, ficará sem desfilar pela primeira em toda a sua história.
A escola da Vila Costa e Silva, fundada pelo funcionário público Liberato de Moraes, que morreu há 20 anos, vai completar meio século no próximo dia 30 de junho.
"É um ano histórico e ficaremos sem o Carnaval oficial. Está um clima de desânimo no bairro", disse a presidente Claudelina Aparecida, filha de Moraes.
De acordo com Claudelina, o objetivo é fazer uma comemoração em junho.
Segundo Claudelina, desde sua criação, a escola, que conta com cerca de 600 componentes, passa por dificuldades financeiras.
No entanto, foi a campeã do grupo especial das escolas de samba de Campinas nos últimos sete anos consecutivos.
"Sem quadra, não dá para organizar eventos nem arrecadar verba para o desfile", disse a presidente da escola.
De acordo com Claudelina, a escola banca os desfiles com a verba da prefeitura e com o dinheiro do bar nos dias de ensaios, que são realizados na praça central do bairro.
"Quando chove é impossível realizá-los", afirmou.
A falta de quadra obriga a presidente a guardar os 30 troféus e os cerca de 70 instrumentos da escola na própria casa.
Na confecção das fantasias dos foliões, a presidente disse que conta com doações de plásticos e cola. Três costureiras trabalham para a escola e dez homens realizam a montagem dos carros alegóricos, segundo Claudelina.
Ela disse que a escola já desfilou em Serra Negra, Águas de Lindóia, Mogi Mirim, Itu, Salto e Santos.



Texto Anterior: Crise financeira prejudica Carnaval
Próximo Texto: Carnaval de Paulínia atrai campineiros
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha.