São Paulo, domingo, 05 de março de 2000


Envie esta notícia por e-mail para
assinantes do UOL ou da Folha
Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Xandy, 20, é o molejo da vez na BA

JOSÉLIA AGUIAR
enviada especial a Salvador

Um rapaz que requebra, e não uma moça, é o mais forte candidato a símbolo sexual deste Carnaval em Salvador.
Xandy, 20 anos, e seu então desconhecido grupo de pagode Harmonia do Samba, emplacaram, durante este verão, três músicas nas rádios, festas e vitrolas baianas -"Vem Neném", "Agachadinho" e "Desafio".
Em poucos meses, o grupo que se originou de um bairro da periferia, Capelinha de São Caetano, ganhou a cidade. E Xandy, que alguns consideram a versão masculina da dançarina e apresentadora Carla Perez, virou o baiano com o molejo da vez.
Moreno, alto e forte, o garoto suburbano se tornou a sensação das academias de classe alta de Salvador. "O assédio, seja feminino ou masculino, é uma resposta ao nosso trabalho", diz. De família pobre, Xandy precisou trabalhar desde cedo para ajudar a mãe e os dois irmãos. O vocalista teve de vender picolés e engraxar sapatos durante a adolescência.
O sucesso de Xandy suscitou o boato de que teria sido convidado para substituir Beto Jamaica, de saída do É o Tchan. A notícia foi desmentida.
Criado há seis anos, o grupo Harmonia do Samba é formado por 12 integrantes entre 17 e 26 anos. O primeiro e único CD, feito ao vivo, conseguiu disco de ouro.
Neste Carnaval, o grupo anima seis blocos na avenida.
Na terça, desfila em um bloco grande, o Cheiro de Amor, cuja produtora passou a agenciar o grupo.


Texto Anterior: Pernambuco: Com a obrigação de tocar frevo, Galo comemora os 500 anos
Próximo Texto: No Ar - Nelson de Sá: Divindades
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha.