São Paulo, quarta-feira, 19 de maio de 2010

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

entrevista

Escola precisa entender o fato, diz professor

DA REPORTAGEM LOCAL

Para o professor Nelio Bizzo, da Faculdade de Educação da USP, a professora agredida tem o direito de pedir reparação legal, mas a escola precisa entender os motivos que levaram ao episódio. (TALITA BEDINELLI)

 

FOLHA - A professora está certa?
NELIO BIZZO -
A professora tem o direito de pedir uma reparação se ela se sente prejudicada. É um direito dela como cidadã, e evidentemente que os pais são responsáveis pelo comportamento do filho. Ao mesmo tempo, não adianta só punir o aluno.

FOLHA - Como assim?
BIZZO -
Assim como não se pode fazer vista grossa para as coisas que estão acontecendo, também não se pode acreditar que uma simples punição individual, como uma multa, vá resolver o problema.
Da mesma maneira que a professora vai continuar intercedendo quando vir alguém sendo agredido dentro da escola, duvido que os alunos mudem de comportamento só porque alguém foi multado.
Os pais precisam entender os motivos da agressividade do filho, e a escola precisa entender melhor o que está ocorrendo no seu recreio, que pode se ter um termômetro do que acontece dentro da escola.

FOLHA - O que a escola deve fazer?
BIZZO -
Ela não pode ter pretensão de sozinha mudar a sociedade, mas não pode fechar os olhos para as coisas mais veementes que ocorrem no seu interior, no seu entorno.
A situação chegou a esse ponto porque já devem ter acontecido outras coisas graves antes. Normalmente, há uma escalada da violência, e só chama a atenção o último degrau dessa escalada.


Texto Anterior: Frases
Próximo Texto: Artigo: Família e escola estão em fogo cruzado
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.