Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
 
 

Lista de textos do jornal de hoje Navegue por editoria

Cotidiano

  • Tamanho da Letra  
  • Comunicar Erros  
  • Imprimir  

Folha Verão

Bombinhas quer virar a 'Noronha' de SC

Projeto prevê controlar o acesso e cobrar taxa de turistas, assim como ocorre no arquipélago do Nordeste do país

Prefeita eleita diz que seguirá ideia da gestão atual; cidade, de 14 mil habitantes, recebe 120 mil pessoas por mês

DA ENVIADA A BOMBINHAS (SC)

Formada por 39 praias e considerada um dos melhores destinos do litoral catarinense, Bombinhas (a 68 km de Florianópolis) planeja virar uma pequena "Fernando de Noronha" do Sul do país.

A prefeitura tem um projeto de transformar a localidade em uma cidade-parque, em que o acesso é controlado e o turista paga uma taxa para a utilização do espaço.

Em contrapartida, a administração promete investir na preservação e na mobilidade.

"A ideia é fazer uma cobrança nos moldes do que ocorre em Fernando de Noronha", diz o atual secretário de turismo, Cláudio Souza, que cita o destino pernambucano como exemplo de cuidado ambiental, assim como Bonito (MS).

A preocupação, segundo Souza, é que o "paraíso" catarinense esteja prestes a acabar. A cada temporada, a cidade fica até dez vezes mais cheia: de 14 mil habitantes, passa a ter uma população flutuante de 120 mil ao mês.

Hoje, a prefeitura já cobra uma taxa de cerca de R$ 230 de cada ônibus de turismo. Agora, os demais turistas estão na mira de uma nova taxa -de valor ainda indefinido.

Em Fernando de Noronha, onde existem entradas para turistas, o primeiro dia custa R$ 43, e o valor aumenta conforme o período de estadia.

"Não vai ser uma taxa barata, isso posso afiançar", diz a prefeita eleita, Ana Paula da Silva (PDT), que pretende seguir a ideia da gestão atual.

Ela planeja implantá-la já na próxima temporada. Ou seja: esse deve ser o último verão sem pedágio. "É uma medida polêmica, mas necessária. Temos um fluxo de pessoas muito superior à nossa capacidade ambiental", afirma.

Ainda não se sabe como será o controle de acesso. Segundo a prefeita eleita, isso deverá passar pelo Legislativo, mas a ideia é que haja rigor. "Quando o município chegar a um limite, independentemente da taxa, as pessoas não vão poder entrar."

POLÊMICA

Turistas e moradores concordam com a necessidade de aumentar a preservação, mas se dividem em relação à proposta da nova taxa.

"A cidade não tem tanta estrutura. Se for assim, tem que cobrar taxa em todas as praias de Santa Catarina", diz o auditor Rodolfo Terme, 32.

Mesma opinião tem o policial Bruno Nagata, 23, que veio do Paraná. "Acho a ideia até interessante. Mas qual a legitimidade de pegar uma área pública e isolar?", questiona.

José Luiz do Rosário, 23, morador, apoia a ideia. "Se continuar assim, vai acabar poluindo as praias."


Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Samsung Galaxy Samsung Galaxy 3G/4G, wi-fi, Dual chip a partir de R$ 248,00

Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página