São Paulo, sexta-feira, 09 de junho de 2006

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Vaivém das commodities

NOVO IMPULSO
A demanda crescente por biocombustíveis deve estimular o crescimento da economia mundial, segundo Christopher Flavin, presidente do WorldWatch, instituto sediado em Washington (EUA). Até o final do ano, os Estados Unidos vão superar o Brasil e passar a liderar a produção mundial de biocombustíveis, disse Flavin à Bloomberg.

"DRAWBACK" ASSUSTA
Os produtores de café estão receosos quanto à liberação imediata do "drawback" para o produto. Na avaliação de Maurício Miarelli, presidente do Conselho Nacional do Café, são necessários estudos que mostrem as vantagens e desvantagens do uso desse sistema para o café verde. "É preciso considerar a renda do produtor."

QUEDA GERAL
O açúcar voltou a ser negociado a 15 centavos de dólar por libra-peso na Bolsa de commodities de Nova York, retornando aos valores de janeiro deste ano. O ajuste de preços ocorreu em todos os contratos negociados. O de julho teve queda de 1,25%; o de outubro, de 1,1%.


FAMILIAR
A agricultura familiar começa a atrair grandes empresas. Desta vez foi o Pão de Açúcar que confirmou participação na próxima feira do setor. A empresa deve ampliar negócios com associações e cooperativas de produtores de frutas, legumes e verduras pré-selecionados pela Fetaesp.

OPORTUNIDADES
A participação do Pão de Açúcar é uma oportunidade para o agricultor familiar vender diretamente aos supermercados, diz João Carlos Pedreira de Freitas, diretor da Hecta, empresa que organiza a 4 feira da agricultura familiar paulista.

EM ALTA
Em busca de um novo patamar de preços para o frango, os produtores pediram ontem R$ 1,15 pelo quilo da ave viva nas granjas paulistas. Até o início da semana, o preço de comercialização era de R$ 1,10. Mesmo com a alta, o preço fica abaixo do R$ 1,30 da primeira quinzena de maio.

NOVOS PROGRAMAS
O produtor de soja poderá ter dois novos programas para composição dos preços, segundo Rui Ottoni Prado, da Aprosoja: o Pepro (Prêmio de Equalização para o Produtor de Soja) e o Psoja (Prêmio de Equalização da Soja).

COMO FUNCIONA
O produtor poderá comprar um prêmio de R$ 6,00 através dos leilões do Pepro, cadastrando-se na Bolsa. Já os produtores com restrições de crédito podem participar do Psoja. O prêmio desse programa será repassado ao produtor pela indústria.


Texto Anterior: Onda de alta nos juros afeta Bolsas pelo mundo
Próximo Texto: Ferrugem e seca são os desafios para a soja
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.