Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
 
 

Lista de textos do jornal de hoje Navegue por editoria

Esporte

  • Tamanho da Letra  
  • Comunicar Erros  
  • Imprimir  

Juca Kfouri

Timão domingueiro

O Corinthians tem ido melhor nos fins de semana do que nos jogos das quartas. Por que será?

HOJE TEM Corinthians no Pacaembu. Se o time mantiver o desempenho deste agosto, hoje é dia de ganhar do Coritiba e superá-lo na tábua de classificação.

Neste mês, o Corinthians ganhou, fora, do Criciúma e, em casa, do Vitória, nos domingos 4 e 11.

Mas só empatou com o Santos e com o Fluminense nas quartas-feiras seguintes, embora fosse favorito nos dois clássicos, mesmo no campo dos rivais em crise.

No domingo que vem o adversário será o Vasco, no Mané Garrincha, o que torna o clássico menos complicado do que seria em São Januário.

Já as duas próximas quartas-feiras serão de Copa do Brasil, contra o Luverdense, lá e cá, em modo mata-mata, como o time gosta. Gosta não, adora.

Tite fica bravo quando alguém diz que seu time joga quando quer. Segundo ele, quem age assim não tem caráter, coisa que, de acordo com o técnico, sobra no elenco corintiano. Ninguém duvida.

Há também quem ache que o time, experiente, se guarda para a Copa do Brasil, meio mais fácil de garantir vaga na Libertadores do que ficar no G4 do Brasileirão.

Já ouvi que o próprio Tite prioriza a Copa, porque é o título que não tem. Não tem, vírgula.

Não tem pelo Corinthians, porque a ganhou pelo Grêmio, justo ante o Corinthians.

Ele tem mais: tem todos os títulos possíveis. O estadual gaúcho, pelo Caxias, pelo Grêmio e pelo Inter. O paulista e o do Campeonato Brasileiro, pelo Corinthians. O da Copa Sul-Americana e a tal Suruga, ambos pelo Inter, além da Libertadores, Recopa Sul-Americana e Mundial, não precisa citar por quem.

Claro que ele deseja o bicampeonato brasileiro, talvez até mais que o da Copa do Brasil, mesmo que, no alvinegro, o da Copa possa soar como se tivesse feito, sozinho, a sena.

"Sozinho não, Juca", seria capaz de ouvi-lo dizer mentalmente se achasse que perde tempo lendo as bobagens aqui escritas. Ninguém ganha nada sozinho, bem sei, nem um tenista.

Mas, pombas!, tchê, por que tanto empate, sete em 14 jogos, o mesmo que a Portuguesa, antepenúltima colocada?

Tite responderia que, em contrapartida, as derrotas são apenas duas, igual ao líder Botafogo.

Ficaríamos numa discussão interminável, respeitosa porque ele é educado e eu não sou burro a ponto de ignorar o quanto tenho a aprender com quem já ganhou tanto. Nem me atreveria a falar em empatite, falaria em empatia, pois sou capaz de entender, pondo-me no lugar dele, sua forma de comandar os times que dirige.

O pior é que o Coritiba também é chegado num empate, com seis, quatro deles como visitante...

Sei não. Empatar é melhor que perder, mas, às vezes, uma derrota corajosa orgulha mais que a igualdade medrosa. Que seja um bom jogo, como os que têm acontecido no Maracanã.

Porque é domingo e domingo não pede xingo.


Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página