Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
 
 

Lista de textos do jornal de hoje Navegue por editoria

Esporte

  • Tamanho da Letra  
  • Comunicar Erros  
  • Imprimir  

Juca Kfouri

Minas onde sempre esteve

O futebol mineiro volta a dar as cartas e surpreende apenas quem olha apenas para o próprio umbigo

POR COINCIDÊNCIA, a tabela do Brasileirão reservou a São Paulo e Corinthians, preocupados com o rebaixamento, situações parecidas.

Ambos enfrentaram, em casa, times baianos que tinham de superar antes de ir a Minas jogar contra os times locais e para os quais duas derrotas deveriam estar nos cálculos.

O Corinthians ganhou bem do Bahia antes de ir enfrentar o Galo no Independência na rodada que passou.

O São Paulo sofreu, mas derrotou o Vitória antes de pegar o Cruzeiro no Mineirão na rodada que virá.

O alvinegro safou-se do tricolor baiano bem mais facilmente do que o tricolor paulista derrotou o rubro-negro, o que aumenta a impressão de que o São Paulo, mesmo que monte uma retranca muricystica, dificilmente voltará de BH com um pontinho que seja.

Aliás, nunca foi fácil jogar com os mineiros, principalmente depois que o Mineirão foi inaugurado, em meados dos anos 60 do século 20.

Surgiram Tostão e companhia, um Cruzeiro tão estelar que tinha Dirceu Lopes, dos maiores gênios de nosso futebol, como coadjuvante.

O Galo de Telê e Dadá, depois de Reinaldo e Toninho Cerezo, outro Cruzeiro de Jairzinho e Palhinha, mais um de Alex, o Atlético de Ronaldinho Gaúcho, meus caros, abram os olhos, o futebol das Minas Gerais não surpreende ninguém, uai!, está onde sempre esteve, entre os melhores do Brasil, portanto do mundo, como o futebol gaúcho, o carioca e o paulista.

Dito isso, se o São Paulo repetir o Corinthians e trouxer um empate de Minas estará de ótimo tamanho.

O alvinegro até pôde vencer, ao mandar uma bola no travessão com Romarinho, no primeiro tempo, e desperdiçar ótima chance com Ibson, já no segundo. Verdade que até nisso o Galo, que jogou com mais vontade de vencer, tenha empatado, porque Diego Tardelli também acertou a trave no fim dos primeiros 45 minutos e teve a melhor chance do jogo na etapa final, quando Cássio fez milagre com a ponta do pé esquerdo.

O Atlético sem Victor, Réver, Ronaldinho e Jô, comprovou estar totalmente recuperado e o Corinthians, sem Émerson, revelou que está a caminho, algo que provará se vencer o outro Atlético, o do Paraná, em Mogi Mirim, antes de enfrentar exatamente o São Paulo no Morumbi.

Vida um pouco menos dura que a do tricolor, que venceu limpamente o Vitória e até prejudicado pela arbitragem, não ajudado, pois Paulo Miranda foi empurrado em cima do goleiro no gol decisivo.

IMPLICÂNCIAS

Você já viu alguém encarar de costas? Mas certamente tem lido e ouvido quem escreve e diz encarar de frente não?

E havia dito? É um tal de fulano havia dito pra lá, sicrano havia dito pra cá...Havia dito, haviadito, viadito. Nada contra, mas é feio. Feio como América ganhou. Ou não?


Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página