Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
 
 

Lista de textos do jornal de hoje Navegue por editoria

Esporte

  • Tamanho da Letra  
  • Comunicar Erros  
  • Imprimir  

Juca Kfouri

Com fuso e tudo

Contra o sono e o gramado, além da pancadaria sem dó, a seleção venceu bem, mas Felipão chiou em Seul

PIMENTA NOS OLHOS dos outros não arde, mas se Felipão não acha nosso calendário tão diferente do mundial, botou a boca no trombone ao se ver obrigado a jogar sem o mínimo de tempo adequado para adaptar seus comandados que viajaram da Europa e do Brasil para Seul, com sete e 12 horas, respectivamente, de diferença de fuso horário.

As mazelas dos contratos de Ricardo Teixeira, que José Maria Marin mantém intocados, não impediram, no entanto, que mesmo sofrendo com a descompensação horária e o gramado abaixo do comum na Ásia, a seleção brasileira apresentasse atuação convincente e suficiente para derrotar a violenta Coreia do Sul por 2 a 0, um gol em cada tempo -- o de Neymar, no fim do primeiro e o de Oscar no começo do segundo.

Se antes os coreanos se caracterizavam por correr e bater ingenuamente, hoje eles continuam correndo e batendo, mas com maldade, apesar de pedirem desculpas, cinicamente. E apanhando no jogo.

Para sorte, e por competência brasileira, Jefferson quase não teve trabalho porque se a bola fosse em seu gol e ele estivesse tão zumbi como estava Jô (os dois que viajaram do Brasil para Seul), provavelmente a defesa brasileira, com ótima atuação de David Luiz, teria sido vazada.

No meio de campo Paulinho brilhou apenas uma vez, ao dar o excelente passe para Oscar driblar o goleiro e marcar o segundo gol, depois que Neymar, muito bem em campo, de falta e com raiva por apanhar como cão ladrão, fez o primeiro com colaboração do número 1 coreano.

Contra a Zâmbia, depois de amanhã, em Pequim, no fabuloso Ninho de Passáro, certamente a seleção estará mais acordada, porque se completará o período de sete dias necessário para adaptação ao fuso dos que viajaram da Europa, uma hora por dia, restando ainda cinco para a minoria que embarcou no Brasil.

A impressionante posse de bola brasileira de 70% mesmo em condições tão adversas dá a medida da maturidade e do nível que o time já atingiu mesmo sem poder se preparar adequadamente.

Quem sabe se em nome da saúde de seus jogadores, e da qualidade do espetáculo, Felipão não passe a ser mais enfático e menos algodão entre cristais na questão do calendário defendido pelo Bom Senso F.C..

FALTAM QUATRO

Quatro dos campeões mundiais, Alemanha, Argentina, Brasil e Itália, estão garantidos na Copa do Mundo de 2014.

Para Espanha basta um empate, em casa, contra a Geórgia, para ser o quinto e a França irá para a repescagem, assim como o Uruguai.

A Inglaterra pode ser o sexto, desde que vença, também em casa, a Polônia, mas já está garantida na repescagem.

AO OSCAR

O cineasta brasileiro que não pegar o livro "O Drible", de Sérgio Rodrigues, e não fizer dele um belíssimo filme, é mulher de padre.


Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página