São Paulo, sexta, 28 de agosto de 1998

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

CRIME
Ministério Público pede abertura de processo criminal e prisão preventiva dos três acusados de tentar roubar ator
Promotora denuncia presos no caso Brenner

RICARDO ZORZETTO
da Reportagem Local

Os três acusados presos na semana passada na região de Guararema (SP) foram denunciados pelo crime contra o ator Gerson Brenner. Eles começarão a responder processo criminal pelo caso, se o juiz aceitar a denúncia, apresentada ontem pela promotoria.
Vítor Tancredo, Luzimar Sabino dos Santos (apelidado de Baianinho) e Dimas Baptista, foram denunciados por tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte). A acusação formal foi apresentada à juíza Ana Cristina Bonchristiano, do Fórum de Guararema, pela promotora Janaina Valle.
Segundo a promotora, a denúncia foi feita com base em quatro indícios:
a) a confissão dos suspeitos diante de repórteres;
b) o depoimento oficial dos acusados à polícia, em que admitiram o crime, mas entraram em contradição sobre quem teria disparado;
c) o depoimento de vizinhos, acusando os presos;
d) o depoimento de duas testemunhas ao Ministério Público. A promotora disse que o advogado de defesa, Aparecido Hernani Ferreira, apresentou à promotoria duas testemunhas que teriam sido coagidas pela polícia para acusar os três. Segundo a promotora, uma delas -cujo nome não foi revelado- confirmou a participação dos acusados e a outra, que dizia ter apanhado da polícia, fez exame de corpo de delito com resultado negativo.
Janaina disse que os indícios "são fortes o suficiente" para a condenação dos acusados.
Para ela, a falta de prova material do crime -o exame de balística da arma apreendida com os acusados foi inconclusivo- não impede a acusação dos três suspeitos.
A promotora também pediu a prisão preventiva dos acusados sob a alegação de haver "fortes evidências" de que praticaram o crime, por não terem comprovado ter residência fixa nem emprego.
Esse pedido deverá ser analisado ainda hoje pela juíza.
Anteontem, por volta das 18h30, Aparecido Hernani Ferreira, o advogado dos acusados, entrou com pedido de liberdade provisória dos presos. O requerimento pode ser prejudicado devido à denúncia.
À meia-noite de hoje vence o prazo de prisão temporária dos três acusados. Mas, caso a juíza de Guararema não aceite a denúncia contra eles, Luzimar dos Santos e Vítor Tancredo permanecerão presos na Cadeia Pública de Mogi das Cruzes por outra acusação.
Ontem, o juiz da 2 Vara Criminal de Mogi das Cruzes, Flávio Finoglio Guimarães, decretou a prisão preventiva de Tancredo e Santos. Em outro inquérito, eles foram acusados de praticar naquela cidade assalto à mão armada contra o motorista de táxi Luiz Moraes.



Texto Anterior | Próximo Texto | Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha.