São Paulo, quarta-feira, 19 de maio de 2010

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Exército da Tailândia inicia operação contra "camisas vermelhas"

Ação ocorre após governo rejeitar cessar-fogo proposto por manifestantes, que protestam há dois meses em Bancoc

Desde início de mobilização, 67 pessoas, a maioria civis, foram mortas em choques com o Exército -39 delas apenas nos últimos seis dias


DA REDAÇÃO

Tropas do Exército da Tailândia abriram fogo na manhã de hoje (noite de terça no Brasil) contra o acampamento montado por manifestantes antigoverno no centro da capital, Bancoc.
Veículos blindados, que davam apoio aos soldados, conseguiram ultrapassar as trincheiras de pneus e bambus colocadas pelos "camisas vermelhas" em um importante distrito comercial da cidade.
Até o fechamento desta edição, não havia informações sobre mortos.
As tropas começaram a se reunir perto do acampamento ainda no início da manhã. Mesmo assim, um dos líderes do protesto, Nattawut Saikua, pedia para que todos continuassem em seus postos.
Já os soldados pediam aos manifestantes que deixassem a região "imediatamente". "Oficiais estão para conduzir uma operação", disse um deles por meio de um alto-falante.
A ação ocorre um dia depois de o governo ter rechaçado um cessar-fogo proposto pelos manifestantes após cinco dias de confrontos com militares que deixaram 39 mortos.
"Parece que o governo quer mesmo acabar com isso [o protesto] dessa vez", disse o senador Lertrat Rattanawanit, que tentou mediar as negociações.
O porta-voz do governo, Panitan Wattanayagorn, disse que a operação militar continuará ao longo do dia e que o objetivo é "garantir o perímetro" do acampamento.
Os "camisas vermelhas" chegaram a Bancoc em 12 de março. Eles protestam contra o premiê Abhisit Vejjajiva, a quem acusam de ter chegado ao poder por meio de manipulação da Justiça. Eles pedem sua renúncia, a dissolução do Parlamento e novas eleições.
Desde então, 67 pessoas foram mortas em choques entre manifestantes e Exército.

Com agências internacionais



Texto Anterior: China: Ex-homem mais rico da China é condenado
Próximo Texto: Pirataria: Somali admite culpa por tomar navio dos EUA
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.