São Paulo, sexta-feira, 21 de abril de 2000


Envie esta notícia por e-mail para
assinantes do UOL ou da Folha
Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Crise afeta turismo local

das agências internacionais

A ocupação de ao menos 500 fazendas pertencentes a brancos no Zimbábue está afugentando os estrangeiros, segundo órgãos de turismo ligados ao governo.
O escritório de turismo do Zimbábue em Londres disse que muitas viagens foram canceladas, e a Autoridade Turística Zimbabuana em Harare (capital) afirmou esperar um desempenho negativo na Páscoa. "A violência (ao menos quatro pessoas já morreram) tem um impacto bastante negativo", disse o funcionário Chrispen Gwindi, em Harare.
O Zimbábue atraiu cerca de 2,5 milhões de turistas no ano passado. Eles visitam especialmente parques nacionais e reservas naturais, onde podem ver elefantes, leões e girafas livres, entre outros animais.
"Infelizmente, a situação já afetou o turismo", declarou o escritório de Londres. "Algumas pessoas estão cancelando as viagens. Isso é triste porque o problema (a violência provocada pelas invasões) não atinge as áreas turísticas nem um pouco."
Apesar da declaração do órgão turístico, segundo relatos que não foram confirmados, centenas de veteranos de guerra que ajudaram a levar o Zimbábue à independência teriam ido para regiões turísticas populares em Bulawayo, 400 km a sudoeste de Harare.
O Zimbábue foi colônia do Reino Unido até 1965 e conquistou sua independência definitiva em 1980. O governo britânico desaconselhou a participação em manifestações políticas e a visita a fazendas comerciais.


Texto Anterior: Encontro: Cúpula africana debate o Zimbábue
Próximo Texto: Convivência pacífica: Empresários brancos elogiam o governo da África do Sul
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha.