São José dos Campos, Sábado, 05 de Fevereiro de 2000


Envie esta notícia por e-mail para
assinantes do UOL ou da Folha
Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Para a PM, houve atraso

free-lance para a Folha Vale

O coronel da PM de São José Celso Carlos de Camargo disse que os policiais não podem acompanhar a fiscalização, mas deveriam ter sido chamados desde o momento em que os perueiros começaram a fazer as provocações.
"Se desde o início alguém tivesse nos acionado, nada disso teria ocorrido", salientou.
De acordo com o coronel, os ataques de perueiros à fiscalização de São José vêm aumentando, pois eles se deixam influenciar pelo que acontece em São Paulo.
"É o famoso efeito clone. Se a imprensa da capital divulga que perueiros paulistanos fizeram protesto, agrediram fiscais ou quebraram carros da fiscalização, os daqui repetem", acrescentou.
Questionado sobre a alegação dos funcionários do transporte coletivo de que alguns perueiros mostram armas para intimidá-los, o coronel confirmou a reclamação.
"Se houver denúncia sobre isso, a PM vai patrulhar e abordar o veículo. Uma vez encontrada a arma, tomaremos as devidas providências."


Texto Anterior: Fiscal acusa os clandestinos
Próximo Texto: Acidente com ônibus clandestino fere 13
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha.