Descrição de chapéu Crítica

Paddington volta ainda mais cativante em história criativa

Hugh Grant substitui Nicole Kidman no papel de vilão e rouba a cena 

Segundo longa traz simpático ursinho já totalmente adaptado à vida na cidade grande
Segundo longa traz simpático ursinho já totalmente adaptado à vida na cidade grande - Divulgação
Marina Galeno
São Paulo

Um dos personagens preferidos das crianças britânicas, o urso falante de casaco azul e chapéu vermelho deve conquistar de vez pequenos (e adultos) do mundo inteiro. Será preciso um esforço enorme para resistir aos encantos de "Paddington 2".

O segundo longa sobre o simpático personagem, novamente dirigido por Paul King, é ainda mais cativante do que o primeiro (de 2014) e entrega aos espectadores porções generosas de comédia, ternura, fantasia e aventura.

Popular na vizinhança de Windsor Gardens, o atrapalhado Paddington está totalmente adaptado à vida na cidade e procura um trabalho para conseguir comprar o presente de aniversário dos cem anos da tia Lucy: um incrível livro pop-up que mostra os principais pontos turísticos de Londres (e rende uma das melhores cenas do filme).

Mas, mal sabe ele que o tal livro irá desencadear o começo de todos os seus problemas. Acusado injustamente pelo sumiço do objeto da loja de antiguidades do senhor Gruber (Jim Broadbent), o urso acaba atrás das grades e passa a conviver com uma turma barra pesada.

Enquanto isso, sua família adotiva mergulha de cabeça numa investigação maluca para provar a inocência de Paddington. E o público mergulha junto, seduzido por uma trama criativa, que equilibra simplicidade e sofisticação e segue o embalo de uma envolvente contação de histórias.

Cada trecho da narrativa vai sendo projetado na tela a partir de imagens que enchem os olhos. Resultado de uma mistura habilidosa de computação com "live action". A interação entre o bicho e os humanos é tão convincente, que, em diversos momentos, esquecemos que ursos não falam.

Mérito que também cai na conta do encorpado (e britânico) elenco de carne e osso, que inclui Sally Hawkins –indicada ao Oscar por "A Forma da Água" – e Julie Walters, ambas do longa anterior.

Reforço de peso ao time, Hugh Grant substitui Nicole Kidman no papel de vilão e rouba a cena como Phoenix Buchanan, um ator decadente, narcisista e tresloucado.

Gracioso sem ser piegas, "Paddington 2" carrega mensagens bonitinhas à família e mescla humor refinado e pastelão na medida para qualquer idade.

Sobretudo, faz uma bela homenagem a Michael Bond. O criador do ursinho peruano que chega a Londres com apenas um pote de marmelada na mala morreu em junho do ano passado, aos 91 anos, no último dia de filmagens dessa sequência.

PADDINGTON 2

  • Quando estreia nesta quinta (1º)
  • Classificação livre
  • Elenco Hugh Grant, Jim Broadbent e Sally Hawkins
  • Produção Reino Unido/França/EUA, 2017
  • Direção Paul King
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.