Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
12/09/2010 - 09h34

Folha lança coleção de livros que mudaram o mundo

Publicidade

DE SÃO PAULO

Vai ter de Platão a Freud, passando por Newton, Mao, a Bíblia e o Alcorão.

Marcada pela multidisciplinaridade e pela abrangência, a Coleção Folha Livros que Mudaram o Mundo leva às bancas, a partir do dia 19, obras canônicas de diversas áreas do pensamento.

Os dois primeiros volumes, a serem lançados simultaneamente, já servem como indicativo da proposta da coleção: "A Origem das Espécies", de Darwin, e "O Príncipe e Escritos Políticos", de Maquiavel.

O naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882) publicou em 1859 "A Origem das Espécies", na qual apresentou a Teoria da Evolução e o conceito de seleção natural que se tornariam fundamentais para o desenvolvimento da biologia.

Já o pensador Nicolau Maquiavel (1469-1527) nasceu 340 anos antes de Darwin, na cidade italiana de Florença --a 1.400km de distância de Shrewsbury, terra natal do cientista inglês.

Historiador, poeta, diplomata e músico, escreveu em 1513 "O Príncipe" --publicado postumamente, em 1532, é de fundamental importância na transformação da política em ciência ao abordar as questões de Estado e governo do ponto de vista da eficácia das ações e não dos princípios morais.

Arte
Coleção "Livros que Mudaram o Mundo"
Coleção "Livros que Mudaram o Mundo"

Da Grécia Antiga ao século 20, a coleção procura abarcar diversas áreas do conhecimento, da ciência (Newton, Darwin) à filosofia (Platão, Aristóteles, Descartes, Pascal, Voltaire, Rousseau, Kant, Freud), passando pela economia (Smith, Marx).

A política (Maquiavel, Thomas More, Tocqueville, Mao Tsé-tung) não foi esquecida. A religião também se faz representar, seja na forma de textos sagrados (Bíblia, Alcorão), seja nos escritos de um importante teólogo (santo Agostinho).

A ideia foi reunir obras que mudaram a maneira de o homem pensar o mundo e a si mesmo.

Como os "Princípios Matemáticos de Filosofia Natural", de Isaac Newton (1643-1727), que, a um só tempo, tirou o homem do centro do Universo e deu início à era das revoluções científicas.

Ou ainda "A Interpretação dos Sonhos", de Sigmund Freud (1856-1939), que nos arrancou do comando de nossas próprias mentes ao deslindar o inconsciente e seus processos mentais.

Ao lançar a coleção Livros que Mudaram o Mundo, a Folha permite a seus leitores que entrem em contato direto com algumas dessas obras capitais e as julguem por si mesmo.

-

CONHEÇA OS LIVROS

19 de setembro

Charles Darwin - "A Origem das Espécies"
Publicado em 1859, o livro apresenta a base da Teoria da Evolução. O inglês Charles Darwin (1809-1882) abalou o pensamento da época ao contestar a crença na criação divina tal como é apresentada na Bíblia. Os estudos do livro provaram que a diversidade biológica é resultado de um lento processo de descendência e de seleção natural, em que os organismos vivos se adaptam gradualmente ao ambiente, por meio de inúmeras mutações.

Maquiavel - "O Príncipe" e "Escritos Políticos"
Quase 500 anos depois, "O Príncipe" (1532) ainda é uma das mais brilhantes reflexões sobre o funcionamento do Estado e a conduta dos governantes. Maquiavel (1469-1527) nasceu em Florença (Itália), onde chegou a ser segundo chanceler da República Florentina. A proximidade com o poder serviu de base para sua obra, fundadora da ciência política moderna.

26 de setembro

Sigmund Freud - "A Interpretação dos Sonhos"
O psicanalista austríaco Sigmund Freud (1856-1939) desbravou a mente humana quando publicou "A Interpretação dos Sonhos" (1899), marco da psicanálise. Ao conferir um caráter científico ao inconsciente, o livro abalou as convicções da época e abriu caminho para uma nova interpretação do homem, a partir dos mecanismos psicológicos dos sonhos.

3 de outubro

Adam Smith - "Riqueza das Nações" (Edição condensada)
O clássico editado em 1776 é um dos fundamentos da economia moderna. Adam Smith (1723-1790) aprofundou aqui ideias até então novas, como a divisão do trabalho e a organização social do capital. Smith é também um dos primeiros a combater a interferência do governo na economia e a pregar a liberdade de mercado, marcas do liberalismo econômico que marcou o século 18.

10 de outubro

Platão - "Apologia de Sócrates", "O Banquete" e "Fedro"
Reunião de três dos principais textos de Platão (428/427 a.C.-348/347 a.C), filósofo da Grécia Antiga. "Apologia de Sócrates" traz a versão de Platão para um discurso feito por seu mentor, em que Sócrates condena as tiranias e o fanatismo. "O Banquete" é composto por discursos sobre a natureza e as qualidades do amor. Já "Fedro" resume toda a filosofia de Platão.

17 de outubro

René Descartes - "Discurso sobre o Método" e "Princípios de Filosofia"
Reúne duas obras completas em que o filósofo René Descartes (1596 -1650) propõe métodos matemáticos de indagação e pesquisa da verdade _algo novo para uma sociedade recém-saída da Idade Média e ainda submetida à autoridade intelectual eclesiástica. Descartes é um dos pioneiros do racionalismo, escola que privilegia a razão como via de acesso ao conhecimento.

24 de outubro

Thomas More - "A Utopia"
Thomas More (1478 -1535) descreve um Estado imaginário sem propriedade privada nem dinheiro, preocupado apenas com a felicidade coletiva. Inspirado pelos discursos de Platão, "A Utopia", publicado em 1516, serviu de base para o socialismo econômico e deu início ao gênero alegórico. More cunhou ainda a palavra utopia (literalmente, o não lugar de nenhum lugar).

31 de outubro

Immanuel Kant - "A Metafísica dos Costumes"
O filósofo alemão (1724-1804) construiu uma síntese entre o racionalismo de Descartes (onde impera a forma de raciocínio dedutivo) e a tradição empírica de John Locke (que valoriza a indução). Nesta obra de 1798, uma das mais importantes análises já feitas sobre a ética, Kant toma como ponto de partida a ideia de que a moralidade é uma condição para a busca da felicidade de todo ser humano.

7 de novembro

Isaac Newton - "Princípios Matemáticos de Filosofia Natural"
Publicada em 1687, a obra contém as famosas três leis de Newton (1643-1727). A descrição do comportamento dos corpos em movimento foi a base da lei da gravitação universal e da mecânica clássica. As teorias de Newton, enunciadas de forma precisa e racional, a partir da observação da natureza, tiraram de vez a física do campo das hipóteses e conjecturas.

14 de novembro

Mao Tsé-Tung - "O Livro Vermelho"
O livro é uma compilação de citações do líder comunista chinês Mao Tsé-tung (1893-1976). Dividido em 33 capítulos, estima-se que já tenha vendido mais de 900 milhões de exemplares. Publicado no Ocidente pela primeira vez em 1964, o livro resume os preceitos da vertente maoísta do marxismo e foi a matriz ideológica da Revolução Cultural, ocorrida na China em 1966.

21 de novembro

Aristóteles - "A Política"
O tratado do filósofo (384 a.C.-322 d.C.), provavelmente lições dadas em sua escola e registradas por seus alunos, defende a ideia fundamental de que a política e a ética constituem um único domínio. "A Política" aborda temas como a composição da cidade, a escravidão e a família. As considerações acerca da pólis [modelo de cidade grega] foram a referência absoluta do tema por muitos séculos.

28 de novembro

Santo Agostinho - "Confissões"
Em uma das primeiras autobiografias da história, Santo Agostinho (354-430) expõe sua teologia ao narrar a juventude pecadora e a posterior conversão religiosa. O estilo lapidar e a agudeza das ideias deram ao livro a categoria de não apenas obra-prima da religião, mas também fundamental da história da literatura. O livro compõe um dos relatos mais completos da vida no século quatro.

5 de dezembro

Karl Marx - "O Capital" (Edição condensada)
Marco do pensamento socialista, a obra de Karl Marx (1818-1883) constitui uma observação da sociedade de produção capitalista. Uma das mais influentes teorias políticas da história, "O Capital" (1867) aprofunda a análise, já presente no "Manifesto Comunista", sobre a relação entre a economia e a história. Nele são encontrados os aspectos centrais do marxismo, como o conceito de mais-valia.

12 de dezembro

Jean-Jacques Rousseau - "Do Contrato Social"
Fundamental na teoria política, o tratado de 1762 lançou os conceitos de soberania popular e de igualdade de direitos entre os homens. Rousseau (1712-1778) instaura --em meio a uma Europa majoritariamente monarquista_ a ideia de que o poder político emana do povo. Ao colocar o homem como essencialmente bom e defender os direitos civis, ele é um dos fundadores da democracia moderna.

19 de dezembro

Blaise Pascal - "Pensamentos"
O francês Blaise Pascal (1623-1662), além da obra filosófica e teológica, destacou-se também na matemática e na física. Tratado sobre a espiritualidade, o volume, publicado postumamente (1670), apresenta a amplitude das reflexões do autor acerca da existência humana. Trata dos conflitos que definem a relação entre o homem e a transcendência que o supera.

26 de dezembro

Alexis de Tocqueville - "A Democracia na América"
Resultado de uma visita de Tocqueville (1805-1859) aos Estados Unidos, o livro (1835) é uma observação da forma como o sistema político americano se diferenciava do europeu. Ao abordar a sociedade americana, o autor vislumbrou a potência que o país viria a se tornar. O historiador francês apresenta aqui uma defesa arguta dos conceitos de democracia e de liberdade individual.

2 de janeiro

VOLTAIRE - "Cândido ou O Otimista"
O filósofo (1694-1778) assinou este romance filosófico (1759) com o nome de Monsieur le docteur Ralph para escapar à polêmica que suas ideias causariam. O livro conta a história de Cândido, otimista por excelência, que se vê diante de todo tipo de maldade após ser expulso do castelo de Vestfália. Sarcástico e rocambolesco, o romance retrata a hipocrisia de um mundo cruel e materialista.

9 de janeiro

Bíblia Sagrada
Livro mais vendido do mundo, base da fé cristã, a Bíblia é uma reunião de textos históricos e metafóricos que contam a história do povo hebreu e do surgimento da religião fundada por Jesus Cristo. A obra divide-se entre Antigo e Novo Testamento e constitui a origem de diversos conteúdos simbólicos da sociedade ocidental contemporânea.

16 de janeiro

Alcorão Sagrado
Os muçulmanos creem que o livro sagrado do islamismo seja a palavra literal de Deus (Alá) revelada ao profeta Maomé ao longo de um período de 23 anos. Organizado em 114 capítulos, o livro descreve as origens do universo, o homem e as suas relações com o criador.

23 de janeiro

Discursos que Mudaram o Mundo
Coletânea de discursos e falas de políticos, ativistas e líderes espirituais que marcaram o mundo. Das mais variadas tendências, o volume reúne, entre outros, textos de Franklin Roosevelt ("O New Deal"), Charles de Gaulle ("Apelo aos Franceses"), Adolf Hitler ("A Campanha de Socorro de Inverno"), Winston Churchill ("O Nervo da Paz") e João Paulo 2º ("Discurso de Assis").

-

Editoria de Arte / Folhapress
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Geladeiras Geladeiras Frost Free, Duplex, a partir de R$ 862,20

Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

Celulares | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página