Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
17/12/2010 - 08h12

Emocionado, Larry King recebe o adeus de Obama e Bill Clinton

Publicidade

DA EFE, EM LOS ANGELES

Após mais de 25 anos no ar nos Estados Unidos, o programa "Larry King Live" chegou ao fim nesta quinta-feira, celebrado por várias estrelas, entre elas o presidente americano, Barack Obama, e o ex-líder do país Bill Clinton.

Larry King, visivelmente emocionado e com a voz embargada, agradeceu sobretudo a seus fãs: "Quero dizer a vocês, à audiência, obrigado! E em vez de adeus, que tal um até breve?".

O apresentador reaparecerá ocasionalmente na emissora "CNN" para apresentar especiais sobre temas nacionais ou internacionais.

Mathieu Young/Reuters/CNN
Larry King durante transmissão do último programa "Larry King Live" nesta quinta-feira
Apresentador Larry King durante transmissão do último programa "Larry King Live" nesta quinta-feira

A última transmissão começou com uma emocionante montagem com alguns dos melhores momentos das entrevistas realizadas por King nos últimos 25 anos.

Durante o programa, co-apresentado por Ryan Seacrest e Bill Maher, foram veiculados discursos de jornalistas das principais emissoras dos EUA, como Barbara Walters, Katie Couric e Anderson Cooper, e de diversas personalidades, entre elas Donald Trump e Tony Bennett, que lhe dedicou a canção "The Best is Yet to Come".

Os momentos de maior emoção, no entanto, foram proporcionados por Obama e Clinton.

"Se vai um dos grandes", disse Obama em mensagem gravada. "Obrigado por estes 25 anos de conversas com os americanos. Dizem que só faz perguntas, mas as respostas que consegue nos surpreendem, nos informam e nos abrem os olhos. Obrigado e boa sorte", acrescentou.

"Obrigado por todos estes anos. Você foi genial", avaliou Clinton em discurso ao vivo.

No fim do programa, King apareceu com sua esposa e filhos.

"Poucas vezes fiquei sem palavras na minha vida. Nunca imaginei que isto fosse durar tanto, nem que se transformaria no que é", afirmou King nos momentos finais.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página