Saltar para o conteúdo principal
 
04/03/2013 - 14h42

De Mario Puzo a Milo Manara, autores contam a história dos Bórgia

da Livraria da Folha

Os Bórgia fundamentaram o seu poder em subornos, chantagens e assassinatos. A família, que se transformou em uma lenda, foi retratada por diversos autores. As reconstruções históricas invariavelmente apresentam episódios de crueldade, incesto e bastidores do Vaticano.

Divulgação
Narra história de assassinatos, subornos, chantagens, orgias e nepotismo
Narra história de assassinatos, chantagens, orgias e nepotismo

Ainda assim, devido ao clima criado pela renúncia de Ratzinger, "Os Bórgias", seriado que narra a ascensão Rodrigo Bórgia (Jeremy Irons) até se tornar papa.

Mario Puzo (1920-1999), autor de "O Poderoso Chefão", obra que deu origem à trilogia homônima dirigida por Francis Ford Coppola, também escreveu sobre a família em "Os Bórgias: A História da Primeira Grande Família do Crime". Considerado um dos melhores livros de Puzo, "Os Bórgias" investiga as origens da máfia com base na trajetória do clã.

A biografia "Alexandre VI - Bórgia, o Papa Sinistro", do historiador Volker Reinhardt, é a mais recente publicação sobre o tema no Brasil. Reinhardt acompanha o percurso dessa família, desde sua origem espanhola até a ascensão de Rodrigo. O livro relata como, em 11 anos de pontificado, Alexandre 6º transformou o Vaticano em um lugar de assassinatos, subornos, chantagens, desvios de dinheiro da Igreja, nepotismo e incesto.

Divulgação
Milo Manara mostra o mundo de incesto e promiscuidade dos Bórgia
Milo Manara mostra o mundo de incesto e promiscuidade dos Bórgia

A história dos Bórgia também serviu como inspiração a Milo Manara, mestre dos quadrinhos eróticos. O primeiro volume, "Sangue para o Papa" mostra as maquinações da família para levar Rodrigo ao papado, usando largamente os favores sexuais de Lucrécia, que ficou conhecida na história do período como "o veneno dos Bórgia", criando uma longa onde de escândalos, orgias e negócios escusos.

Na sequência "Poder e Incesto", pode-se ver a venda indiscriminada de indulgências, nepotismo, promiscuidade e ganância durante o papado de Alexandre 6°. Em "As Chamas da Fogueira", o terceiro volume, a reação da família conforme eles são acusados de envenenamento, fratricídio e até incesto.

Segundo relatos, Lucrecia Borgia, que se tornou uma das mulheres lendárias da história, era cruel e perita em manipular uma complexa rede de intrigas em Roma. Sua trajetória é retratada em "Veneno nas Veias".

Jonathan Hession/Associated Press
Jeremy Irons vive papa Alexandre 6º em "Os Bórgias", que causou polêmica na Itália
Jeremy Irons vive papa Alexandre 6º em "Os Bórgias", que causou polêmica na Itália
 
Voltar ao topo da página