Saltar para o conteúdo principal
 
20/03/2017 - 15h01

Coleção apresenta textos bíblicos de maneira acessível; leia trecho

da Livraria da Folha

Divulgação
Em três volumes, coleção apresenta o texto da Bíblia de uma forma mais acessível e clara
Em três volumes, coleção apresenta o texto da Bíblia de uma forma mais acessível e clara

Lançada pela editora Sextante, a caixa "O Livro da Vida" reúne três volumes que apresentam a Bíblia de forma acessível e com tradução feita a partir de textos em hebraico, aramaico e grego por uma equipe de especialistas de várias tradições cristãs.

Os livros têm um projeto gráfico diferente, que elimina a disposição tradicional em duas colunas. O texto é fluido e sem as indicações de capítulo e versículo. Desta forma, é possível ler a Bíblia como um romance ou livro histórico.

Na apresentação, os editores revelam bastidores do processo de tradução baseado em texto conduzido pela editora Mundo Cristão e apontam a missão de serem fieis ao conteúdo original, ao mesmo tempo em que buscaram tornar o entendimento claro.

O primeiro volume reúne de Gênesis a Ester e trata do nascimento da humanidade até o exílio dos israelitas. O segundo traz os capítulos de Jó a Malaquias e encerra o Antigo Testamento. A terceira e última parte traz as histórias de Jesus e o Novo Testamento, que vai de Mateus ao Apocalipse.

Leia abaixo um trecho de "O Livro da Vida".

Divulgação
A coleção "O Livro da Vida" é divida em três livros
A coleção "O Livro da Vida" é divida em três livros

*

GÊNESIS

A criação

No princípio, Deus criou os céus e a terra. A terra era sem forma e vazia, a escuridão cobria as águas profundas, e o Espírito de Deus se movia sobre a superfície das águas. Então Deus disse: "Haja luz", e houve luz. E Deus viu que a luz era boa, e separou a luz da escuridão. Deus chamou a luz de "dia" e a escuridão de "noite". A noite passou e veio a manhã, encerrando o primeiro dia.

Então Deus disse: "Haja um espaço entre as águas, para separar as águas dos céus das águas da terra". E assim aconteceu. Deus criou um espaço para separar as águas da terra das águas dos céus. Deus chamou o espaço de "céu". A noite passou e veio a manhã, encerrando o segundo dia.

Então Deus disse: "Juntem-se as águas que estão debaixo do céu num só lugar, para que apareça uma parte seca". E assim aconteceu. Deus chamou a parte seca de "terra" e as águas de "mares". E Deus viu que isso era bom.

Então Deus disse: "Produza a terra vegetação: toda espécie de plantas com sementes e árvores que dão frutos com sementes. As sementes produzirão plantas e árvores, cada uma conforme a sua espécie". E assim aconteceu. A terra produ¬ziu vegetação: toda espécie de plantas com sementes e árvores que dão frutos com sementes. As sementes produziram plantas e árvores, cada uma conforme a sua espécie. E Deus viu que isso era bom. A noite passou e veio a manhã, encerrando o terceiro dia.

Então Deus disse: "Haja luzes no céu para separar o dia da noite e marcar as estações, os dias e os anos. Que essas luzes brilhem no céu para iluminar a terra". E assim aconteceu. Deus criou duas grandes luzes: a maior para governar o dia e a menor para governar a noite, e criou também as estrelas. Deus colocou essas luzes no céu para iluminar a terra, para governar o dia e a noite e para separar a luz da escuridão. E Deus viu que isso era bom. A noite passou e veio a manhã, encerrando o quarto dia.

Então Deus disse: "Encham-se as águas de seres vivos, e voem as aves no céu acima da terra". Assim, Deus criou os grandes animais marinhos e todos os seres vivos que se movem em grande número pelas águas, bem como uma grande variedade de aves, cada um conforme a sua espécie. E Deus viu que isso era bom. Então Deus os abençoou: "Sejam férteis e multipliquem-se. Que os seres encham os mares e as aves se multipliquem na terra". A noite passou e veio a manhã, encerrando o quinto dia.

Então Deus disse: "Produza a terra grande variedade de animais, cada um conforme a sua espécie: animais domésticos, animais que rastejam pelo chão e animais selvagens". E assim aconteceu. Deus criou grande variedade de animais selvagens, animais domésticos e animais que rastejam pelo chão, cada um con¬forme a sua espécie. E Deus viu que isso era bom.

Então Deus disse: "Façamos o ser humano à nossa imagem; ele será semelhante a nós. Dominará sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre todos os animais selvagens da terra e sobre os animais que rastejam pelo chão".

Assim, Deus criou os seres humanos à sua própria imagem, à imagem de Deus os criou; homem e mulher os criou.

Então Deus os abençoou e disse: "Sejam férteis e multipliquem-se. Encham e governem a terra. Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que rastejam pelo chão".

Então Deus disse: "Vejam! Eu lhes dou todas as plantas com sementes em toda a terra e todas as árvores frutíferas, para que lhes sirvam de alimento. E dou todas as plantas verdes como alimento a todos os seres vivos: aos animais selvagens, às aves do céu e aos animais que rastejam pelo chão". E assim aconteceu.

Então Deus olhou para tudo que havia feito e viu que era muito bom. A noite passou e veio a manhã, encerrando o sexto dia.

Desse modo, completou-se a criação dos céus e da terra e de tudo que neles há.

No sétimo dia, Deus havia terminado sua obra de criação e descansou de todo o seu trabalho.

Deus abençoou o sétimo dia e o declarou santo, pois foi o dia em que ele descansou de toda a sua obra de criação.

Esse é o relato da criação dos céus e da terra.

O homem e a mulher no jardim

Quando o Senhor Deus criou a terra e os céus, nenhuma planta silvestre nem grãos haviam brotado na terra, pois o Senhor Deus ainda não tinha mandado chuva para regar a terra, e não havia quem a cultivasse. Mas do solo brotava água, que regava toda a terra. Então o Senhor Deus formou o homem do pó da terra. Soprou o fôlego da vida em suas narinas, e o homem se tornou ser vivo.

O Senhor Deus plantou um jardim no Éden, para os lados do leste, e ali colocou o homem que havia criado. O Senhor Deus fez brotar do solo árvores de todas as espécies, árvores lindas que produziam frutos deliciosos. No meio do jardim, colocou a árvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal.

Da terra do Éden nascia um rio que regava o jardim e depois se dividia em quatro braços. O primeiro braço, chamado Pisom, rodeava toda a terra de Havilá, onde existe ouro. O ouro dessa terra é de grande pureza; lá também há resina aromática e pedra de ônix. O segundo braço, chamado Giom, rodeava toda a terra de Cuxe. O terceiro braço, chamado Tigre, corria para o leste da terra da Assíria. O quarto braço era chamado de Eufrates.

O Senhor Deus colocou o homem no jardim do Éden para cultivá-lo e tomar conta dele, mas o Senhor Deus lhe ordenou: "Coma à vontade dos frutos de todas as árvores do jardim, exceto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Se você comer desse fruto, com certeza morrerá".

O Senhor Deus disse: "Não é bom que o homem esteja sozinho. Farei alguém que o ajude e o complete". O Senhor Deus formou da terra todos os animais sel¬vagens e todas as aves do céu. Trouxe¬-os ao homem para ver como os chamaria, e o homem escolheu um nome para cada um deles. Deu nome a todos os animais domésticos, a todas as aves do céu e a todos os animais selvagens. O homem, porém, continuava sem alguém que o ajudasse e o completasse.

Então o Senhor Deus o fez cair num sono profundo. Enquanto o homem dormia, tirou dele uma das costelas e fechou o espaço que ela ocupava. Dessa costela o Senhor Deus fez uma mulher e a trouxe ao homem. "Finalmente!", exclamou o homem. "Esta é osso dos meus ossos, e carne da minha carne. Será chamada 'mulher', porque foi tirada do 'homem'." Por isso o homem deixa pai e mãe e se une à sua mulher, e os dois se tornam um só.

O homem e a mulher estavam nus, mas não sentiam vergonha.

O pecado do homem e da mulher

A serpente era o mais astuto dos animais selvagens que o Senhor Deus havia criado. Certa vez, ela perguntou à mulher: "Deus realmente disse que vocês não devem comer do fruto de nenhuma das árvores do jardim?". "Podemos comer do fruto das árvores do jardim", respondeu a mulher. "É só do fruto da árvore que está no meio do jardim que não podemos comer. Deus disse: 'Não comam e nem sequer toquem no fruto daquela árvore; se o fizerem, morrerão'." "É claro que vocês não morrerão!", a serpente respondeu à mulher. "Deus sabe que, no momento em que comerem do fruto, seus olhos se abrirão e, como Deus, conhecerão o bem e o mal."

A mulher viu que a árvore era linda e que seu fruto parecia delicioso, e desejou a sabedoria que ele lhe daria. Assim, tomou do fruto e o comeu. Depois, deu ao marido, que estava com ela, e ele também comeu. Naquele momento, seus olhos se abriram, e eles perceberam que estavam nus. Por isso, costuraram folhas de figueira umas às outras para se cobrirem.

Quando soprava a brisa do entardecer, o homem e sua mulher ouviram o Senhor Deus caminhando pelo jardim e se esconderam dele entre as árvores.

Então o Senhor Deus chamou o homem e perguntou: "Onde você está?". Ele respondeu: "Ouvi que estavas andando pelo jardim e me escondi. Tive medo, pois eu estava nu". "Quem lhe disse que você estava nu?", perguntou Deus. "Você comeu do fruto da árvore que eu lhe ordenei que não comesse?" O homem respondeu: "Foi a mulher que me deste! Ela me ofereceu do fruto, e eu comi".

Então o Senhor Deus perguntou à mulher: "O que foi que você fez?". "A serpente me enganou", respondeu a mulher. "Foi por isso que comi do fruto."

Então o Senhor Deus disse à serpente: "Uma vez que fez isso, maldita é você entre todos os animais, domésticos e selvagens. Você se arrastará sobre o próprio ventre, rastejará no pó enquanto viver. Farei que haja inimizade entre você e a mulher, e entre a sua descendência e o descendente dela. Ele lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar".

À mulher ele disse: "Farei mais intensas as dores de sua gravidez, e com dor você dará à luz. Seu desejo será para seu marido, e ele a dominará".

E ao homem ele disse: "Uma vez que você deu ouvidos à sua mulher e comeu da árvore cujo fruto ordenei que não comesse, maldita é a terra por sua causa; por toda a vida, terá muito trabalho para tirar da terra seu sustento. Ela produzirá espinhos e ervas daninhas, mas você comerá de seus frutos e grãos. Com o suor do rosto você obterá alimento, até que volte à terra da qual foi formado. Pois você foi feito do pó, e ao pó voltará".

Paraíso perdido

O homem, Adão, deu à sua mulher o nome de Eva, pois ela seria a mãe de toda a humanidade. E o Senhor Deus fez roupas de peles de animais para Adão e sua mulher. Então o Senhor Deus disse: "Vejam, agora os seres humanos se torna¬ram semelhantes a nós, pois conhecem o bem e o mal. Se eles tomarem do fruto da árvore da vida e dele comerem, viverão para sempre". Para impedir que isso acontecesse, o Senhor Deus os expulsou do jardim do Éden, e Adão passou a cultivar a terra da qual tinha sido formado. Depois de expulsá-los, colocou querubins a leste do jardim do Éden e uma espada flamejante que se movia de um lado para o outro, a fim de guardar o caminho até a árvore da vida.

*

O LIVRO DA VIDA
EDITORA Sextante
QUANTO R$ 80,90 (preço promocional*)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página