Saltar para o conteúdo principal
 
31/12/2011 - 16h00

Voltado a jovens, livro explica a origem das espécies; leia trecho

da Livraria da Folha
Texto baseado em informações fornecidas pela editora da obra.

O macaco é nosso primo e houve um tempo em que éramos muito semelhantes a esse nosso parente. Essa história de família começou a ser revelada em 1859, com a publicação da obra "A Origem das Espécies", de Charles Darwin, e provocou uma verdadeira revolução na ciência.

Divulgação
Recheado de ilustrações, livro para jovens explica teoria de Darwin
Recheado de ilustrações, livro para jovens explica teoria de Darwin

Há 180 anos, Charles Darwin embarcava no HMS Beagle
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Conheça nossa página no Facebook
Visite a estante dedicada às ciências biológicas

Em linguagem clara e acessível, o livro "Foi Assim que o Homem Descobriu que o Macaco É Nosso Primo" apresenta o caminho percorrido por paleoantropólogos, biólogos, primatólogos e geneticistas para conhecer e estabelecer as origens de nossa espécie.

Ao longo da obra, textos complementares e informações e pequenas biografias facilitam o acompanhamento das ideias expostas no texto principal.

Para garantir o rigor das informações, o livro tem como conselheiro científico Pascal Picq, paleoantropólogo do Collège de France, além de ser recheado de ilustrações bem-humoradas e diversas imagens que tornam a leitura ainda mais agradável aos jovens. Confira abaixo um trecho do livro.

*

1. Uma história de família movimentada

Uma notícia mal recebida...

O homem é primo do macaco. Mais ainda: o próprio homem é o que se chama de um grande símio. Para muitos, hoje em dia, essa história não tem nada de escandaloso, nem mesmo de perturbador: é coisa sabida e aceita. Mas não faz muito tempo - uns 150 anos - que compreendemos nosso parentesco com os macacos. A novidade chegou de forma repentina e, na hora, não foi nada bem recebida: quase ninguém queria acreditar, e os que desconfiavam que ela tinha uma parte de verdade trataram de abafá-la o mais depressa possível.

Na Europa, continente em que a notícia foi dada, algumas pessoas ainda duvidavam de que o homem pertencesse ao reino animal. Assim, o inglês Charles Darwin causou um tremendo choque com a sua teoria da evolução, segundo a qual o homem não só faz parte do grupo dos animais como, ainda por cima, nem sempre foi homem: tem um ancestral em comum com os grandes símios atuais.

A teoria da evolução foi uma grande revolução para a ciência. Antes dela, apesar de a maioria dos cientistas acreditar que temos muitos pontos em comum com os grandes símios, eles ainda colocavam a origem desse fato nas mãos de Deus.

... e mal interpretada

Para complicar ainda mais as coisas, começaram a entender a mensagem de Darwin erroneamente, resumindo sua teoria com a célebre frase: "O homem descende do macaco". Isso não faz o menor sentido, e foi necessário um século para nos livrarmos dessa má interpretação.

Somente na década de 1960 é que nosso laço de família com os grandes símios foi corretamente entendido. E, mesmo assim, nem por todo mundo! A teoria da evolução desencadeou reações violentas, principalmente por não corresponder ao relato da criação da Bíblia. Ainda hoje há adversários à teoria de Darwin, que a combatem em nome da Bíblia.

No entanto, atualmente os cientistas lutam com armas diferentes das usadas no tempo de Darwin: os fósseis descobertos pelos paleoantropólogos, os genes decifrados pelos biólogos e, enfim, os comportamentos de nossos primos estudados pelos primatólogos.

A família dos grandes símios é antiquíssima e suas origens remontam a milhões de anos, mas só a descobrimos recentemente. A história desse encontro é movimentadíssima e ainda não terminou...

2. Os grandes símios chegam à Europa

"Ele é negro de corpo e de pelos..."

Esqueça o que você viu na televisão, no cinema ou nos livros, descarte suas visitas ao zoológico, faça como se nunca tivesse nem sequer imaginado a existência dos grandes símios e ponha-se na pele de um viajante europeu da época das grandes navegações, entre os séculos XV e XVI. Você está na África Ocidental e, de repente, dá de cara com um chimpanzé, um bicho que nunca tinha visto e do qual nunca tinha ouvido falar. Você talvez o descrevesse como este viajante, citado por um contemporâneo seu, o tipógrafo Valentim Fernandes:

"Encontramos aqui um animal que se parece em tudo com um homem: ele é negro de corpo e de pelos, mas tem o rosto branco, e caminha ora sobre quatro patas, ora sobre dois pés, e é a coisa mais enganadora do mundo e a mais impressionante que há."

"Um animal que se parece em tudo com um homem", mas que não é um homem. É precisamente isso que vai perturbar todos os viajantes que encontram os grandes símios nesse período de muitas mudanças, em que os europeus acabam de fechar a porta da Idade Média e começam a descobrir o mundo.

As grandes descobertas

No fim do século XV, começam as grandes explorações marítimas (Cristóvão Colombo chega à América em 1492) e a Europa sai de mil anos de retração.Desde essa época, os europeus se instalam ao longo da costa da África Ocidental, nas Américas e no oceano Índico. Os portugueses, povo de navegadores apertados num pequeno território, são os primeiros a se lançar na aventura. O principal interesse dessas expedições marítimas é o acesso direto a mercadorias que não existem na Europa, como ouro e especiarias. Claro que a conquista de novas terras é bem-vinda.

Mas os navios não voltam carregados apenas de produtos comerciáveis: os navegantes trazem também, em malas, jaulas e gaiolas, um sem-número de plantas e animais desconhecidos. Essas "lembranças de viagem" deixam os estudiosos perplexos e abalam sua visão da natureza...

*

"Foi Assim que o Homem Descobriu que o Macaco É Nosso Primo"
Autor: Juliette Nouel-Rénier
Editora: Cia. das Letras
Páginas: 72
Quanto: R$ 24,23 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou na Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

 
Voltar ao topo da página