Saltar para o conteúdo principal
 
13/11/2010 - 16h00

Biografia de Toquinho reúne histórias de grandes nomes da MPB

da Livraria da Folha

O violonista Toquinho começou sua carreira muito cedo. Batizado Antonio Pecci Filho, recebeu o apelido que viraria nome artístico da mãe, que o chamava de "toquinho de gente". No início da adolescência, aos 14 anos, recebia aulas de Paulinho Nogueira, seu principal mestre.

Juan Francisco Moreno/Efe
Toquinho começou a tocar muito jovem e logo entrou para o grupo de grandes nomes da MPB
Toquinho começou a tocar muito jovem e logo entrou para o grupo de grandes nomes da MPB

Siga a Livraria da Folha no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

Neste início de parceria com o violão, Baden Powel --com quem viria a gravar futuramente, foi essencial ao músico. Conquistado pelo estilo, motivou-se a encontrar a própria identidade musical. Aos poucos, apresentava-se em clubes e festas e, ainda novo, chegou ao grupo que moldou a MPB nos anos 1960.

Foi na adolescência que tocou pela primeira vez com Elis Regina, Zimbo Trio, Marcos Valle, Bossa Jazz Trio, Taiguara, Ivete, Tuca, Geraldo Cunha, Chico Buarque, entre outros. O principal local de apresentação destes artistas era o Teatro Paramount, em eventos organizados pelo radialista Walter Silva.

"Histórias de Canções: Toquinho", escrito por João Carlos Pecci e Wagner Homem, abrange desde este início de carreira até os dias de hoje, com o nome consolidado na história. A coleção já biografou outro grande nome da MPB e amigo pessoal de Toquinho, Chico Buarque.

Os dois se conheceram quando o violonista tinha apenas 17 anos e compuseram juntos a canção "Lua Cheia". Eles passaram seis meses na Itália, fazendo um total de 45 shows por todo o país. Ao regressar, no início da década de 1970, gravou seu segundo LP e obteve seu primeiro sucesso, "Que Maravilha", em parceria com Jorge BenJor.

Divulgação
Biografia ilustrada mostra a amizade com Vinicius e outros ídolos da MPB
Biografia ilustrada mostra a amizade com Vinicius e outros ídolos da MPB

O encontro que geraria mais frutos e duraria 11 anos, aconteceu em junho de 1970. O poeta Vinicius de Morais o convidou para tocar em alguns shows. A oportunidade surgiu graças a uma homenagem, na qual musicou textos de Vinicius, gravada por Toquinho na Itália.

A parceria, além de duradoura, rendeu em torno de 120 canções, LPs no Brasil e no exterior estimados em 25, além de mais de mil shows feitos em território nacional, na Europa e América Latina.

Ainda hoje, o músico participa de homenagens ao poeta e parceiro, de quem ele ainda sente falta. "Vinícius me faz muita falta como pessoa. Sinto falta do amigo, do irmão que eu tinha nele".

Toquinho é constantemente lembrado, também, por sua contribuição ao cancioneiro infantil. "Aquarela" é uma das músicas para crianças mais cantadas e repetidas para este público.

A biografia de Pecci e Homem reviram a memória do artista para contar as histórias conhecidas e revelar "causos" que só os amigos sabem. Fotografias pessoais e da carreira ilustram os exemplares. Grandes nomes da MPB como Paulo César Pinheiro e Belchior são personagens complementares à vida do violonista.

*

Histórias de Canções
Autores: João Carlos Pecci e Wagner Homem
Editora: Leya
Páginas: 304
Quanto: R$ 35,90 (preço promocional*)
Onde comprar: Pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

 
Voltar ao topo da página