Processadora de cartões Stone quer lançar ações em Nova York

Crédito: Spencer Platt/AFP Processadora de cartões de crédito brasileira Stone Pagamentos planeja IPO em Nova York
Processadora de cartões de crédito brasileira Stone Pagamentos planeja IPO em Nova York

DA REUTERS

A empresa de processamento de cartões de crédito e débito Stone Pagamentos SA planeja uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) em Nova York no segundo semestre do ano, disseram três pessoas com conhecimento do assunto.

O objetivo da operação é angariar fundos para competir com os rivais maiores Cielo e a Rede, divisão do Itaú Unibanco.

A Stone discutiu com os bancos de investimento uma transação na qual a empresa levantaria recursos e alguns acionistas venderiam parte de suas participações, acrescentaram as fontes, pedindo anonimato porque as negociações ainda são sigilosas. A Stone ainda não contratou assessores.

A empresa, controlada pelos fundadores André Street e Eduardo Pontes, tem entre seus acionistas minoritários a empresa britânica de aquisição Actis LLP e a brasileira Gávea Investimentos Ltda.

Outros acionistas incluem a Madrone Capital Partners, uma empresa de investimentos com sede nos EUA que gerencia parte da fortuna da família Walton – principal proprietária do gigante de varejo Wal-Mart Stores Inc, e três dos fundadores do 3G Capital: Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira.

A Stone, Gávea e Madrone não comentaram imediatamente. Actis não quis comentar.

CORRIDA PARA CRESCER

A Stone seria a segunda empresa brasileira de processamento de cartões a listar ações em Bolsa neste ano, com a concorrência na indústria aumentando em meio à incipiente recuperação econômica após a severa recessão.

O PagSeguro apresentou pedido para um IPO no mês passado, que terá como coordenadores os bancos Goldman Sachs & Co, Morgan Stanley, Credit Suisse Group AG, Deutsche Bank Securities e Bank of America Merrill Lynch.

O PagSeguro, do grupo UOL, apresentou pedido de IPO na Bolsa de Valores de Nova York para levantar pelo menos US$ 1,6 bilhão. O IPO vai ser precificado na próxima semana e as ações começarão a ser negociadas no dia 24 de janeiro.

Os acionistas da Stone estão esperando a precificação do IPO da PagSeguro para prosseguir com os planos de oferta de ações, acrescentaram as fontes.

De acordo com as fontes, a Stone tem 4,5% do mercado de pagamentos do Brasil, em que uma dúzia de empresas de processamento de cartões estão competindo por uma participação no crescimento robusto.

Em 2015, apenas 32% dos brasileiros com mais de 15 anos tinham um cartão de crédito, em comparação com 60% nos Estados Unidos, de acordo com o Banco Mundial.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.