Dona da Adria compra Piraquê por R$ 1,55 bilhão

Crédito: Ronny Santos/Folhapress SAO BERNARDO DO CAMPO, SP, BRASIL, 12-04-2017 - ESCOLA PEDE PRENDA E DA NOTA - Seu Jose e a filha, que levou macarrao em troca de nota na escola(Foto: Ronny Santos/Folhapress, CIDADES) ***EXCLUSIVO AGORA *** EMBARGADA PARA VEICULOS ONLINE *** UOL E FOLHA.COM CONSULTAR FOTOGRAFIA DO AGORA *** FOLHAPRESS CONSULTAR FOTOGRAFIA AGORA *** FONES 3224 2169 * 3224 3342 ***
A M. Dias Branco, maior fabricante de massas e biscoitos do país, quer acelerar a expansão no Sul e Sudeste

DA REUTERS

A M. Dias Branco, maior fabricante de massas e biscoitos do Brasil, anunciou nesta segunda-feira (29) a compra de 100% da fabricante de biscoitos Piraquê, em acordo que avalia a empresa em R$ 1,55 bilhão.

Segundo a M. Dias Branco, a aquisição serve para acelerar seu crescimento nas regiões Sul e Sudeste, "bem como de incluir no seu portfólio produtos de alto valor agregado".

Com sede no Ceará, a M. Dias Branco é dona de marcas de alimentos como Adria, Estrela e Isabela e possui 12 fábricas. A Piraquê, fundada no Rio de Janeiro, produz biscoitos e aperitivos e tem uma fábrica no Estado fluminense. Segundo a empresa M.Dias Branco, a Piraquê teve faturamento de R$ 717 milhões entre outubro de 2016 e setembro do ano passado.

Segundo a Euromonitor, a M. Dias Branco liderou o mercado brasileiro de massas secas, como macarrão, no ano passado, com participação de 24,2%, enquanto a Piraquê era a sexta empresa no segmento, com fatia de 4,2%.

Já em aperitivos, a M. Dias ficou em segundo lugar, com participação de 10,3%, enquanto a Piraquê era a décima empresa, com fatia de 1,8%.

Em biscoitos doces, a Euromonitor também identifica a M. Dias Branco como líder no ano passado, com participação de 16,3% ante parcela de 3,1% da Piraquê, que detinha a oitava posição no ranking.

As ações da M. Dias Branco encerraram esta segunda-feira (29) em queda de 1,6%, cotadas a R$ 55,10. O papel não faz parte do Ibovespa, que recuou 0,97%.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.