Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/03/2012 - 08h45

"Ecad é um monopólio sem fiscalização", diz Ronaldo Lemos

Publicidade

DE SÃO PAULO

O Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) anunciou que cobraria R$ 352 mensais de qualquer blog contendo vídeos do YouTube. Cobrança infundada, que gerou revolta e repercutiu até no site da revista Forbes.

A reação do Ecad foi voltar atrás. Disse que a cobrança foi "erro operacional" e que o clamor de que afetaria a liberdade na rede seria mero "chavão".

O Ecad é uma instituição fundamental. Se bem gerida, poderia fortalecer a música e os artistas do país. "Mas o modelo brasileiro é falho", afirma Ronaldo Lemos em sua coluna hoje.

Abaixo, o colunista fala sobre o monopólio sem supervisão que tem gerado abusos, como cobranças indevidas e a falta de fiscalização pública.

Ronaldo Lemos

Comentar esta reportagem

Termos e condições

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página