Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
26/01/2013 - 11h09

Tropas da França e do Mali tomam aeroporto no norte do país africano

Publicidade

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Tropas dos exércitos da França e do Mali tomaram neste sábado o aeroporto de Gao, uma das cidades mais importantes do norte do país africano e que é controlada há sete meses por grupos radicais islâmicos. A informação é do Ministério da Defesa francês.

O controle do terminal aéreo é um dos avanços mais importantes da ofensiva francesa na região, iniciada há três semanas. Cerca de 2.000 soldados do país europeu auxiliam o Mali a retomar o controle do norte do país, dominado por radicais islâmicos desde junho de 2012.

Não há informações de combate no local, que fica a 6 km ao sul de Gao. As tropas também controlaram uma ponte que liga o aeroporto à cidade. Segundo moradores da região, os combatentes islâmicos deixaram a região após uma série de bombardeios da França.

Os mísseis disparados pelos aviões atingiram campos de treinamento, infraestrutura e depósito logísticos dos rebeldes, que fugiram.

LIBERTAÇÃO

Neste sábado, um dos grupos envolvidos na revolta, o Movimento para a Unidade e a Jihad na África Ocidental (MUYAO), afirmou à agência de notícias France Presse que está disposto a negociar a libertação de um refém francês retido pelos extremistas há dois meses.

O movimento afirmou que pretende libertar o franco-português Gilberto Rodríguez Leal, 61, preso desde novembro pelos radicais islâmicos. Eles disseram ainda que podem se entender com outros grupos para poder encerrar a guerra.

A França enviou cerca de 2.000 soldados para a operação, que foi iniciada após pedido do governo do Mali, no dia 10. A intenção era fazer uma intervenção rápida e depois se concentrar em operações de treinamento, mas a força dos radicais islâmicos fez com que Paris prolongasse a intervenção.

Devido ao conflito, o grupo Os Mascarados, vinculados à Al Qaeda no Magreb Islâmico, fez um ataque a um campo de gás na Argélia, na última quarta (16). Mais de 800 funcionários foram mantidos reféns e 48 operários morreram, sendo 37 estrangeiros.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Smart TV Smart TV Diversas ofertas a partir de R$ 856,11

Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

Celulares | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página