Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/02/2013 - 16h40

Cameron diz que casamento gay fortalecerá sociedade britânica

Publicidade

BERNARDO MELLO FRANCO
DE LONDRES

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, afirmou nesta terça-feira que a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo tornará a sociedade britânica mais forte.

Ele saiu em defesa do projeto de lei enviado à Câmara dos Comuns, que será votado pela primeira vez no início da noite.

O Partido Conservador está dividido, e cerca de 60% de sua bancada podem se rebelar e votar contra o primeiro-ministro. O texto deve ser aprovado com apoio da oposição trabalhista.

Cameron não compareceu ao Parlamento, mas falou sobre o tema em entrevista à BBC quatro horas depois do início do debate.

"Os gays também devem poder se casar. É uma questão de igualdade, mas também é algo que vai tornar a nossa sociedade mais forte", afirmou. "É um grande passo à frente para o nosso país, e eu estou orgulhoso de o nosso governo estar dando este passo."

Na Câmara dos Comuns, vários deputados conservadores evocaram valores tradicionais e protestaram contra a proposta.

Roger Gale acusou o governo de usar uma tática "orwelliana" para alterar o sentido da palavra casamento. No livro "1984", de George Orwell, um regime totalitário manipula o sentido das palavras para induzir a população a apoiar medidas draconianas.

Gale sugeriu, em tom de ironia, que o próximo passo seria a legalização do incesto.

"Se o governo está levando isso a sério, deveria abolir a lei da união civil, abolir o casamento civil e criar uma nova lei válida para todas as pessoas, independentemente da sua sexualidade e do tipo de relação que elas tenham. Irmão com irmão e irmã com irmã, inclusive", afirmou.

Esta será a primeira votação do casamento gay no Parlamento britânico. A proposta ainda precisa ser analisada por comissões da Câmara dos Comuns e pela Câmara dos Lordes antes de virar lei.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página