Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/03/2011 - 22h11

Primeiras embarcações com imigrantes líbios chegam à Itália

Publicidade

DA FRANCE PRESSE, EM LAMPEDUSA
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Três embarcações com 800 imigrantes africanos a bordo chegaram neste domingo à ilha de Lampedusa, na Itália, entre eles os primeiros procedentes da Líbia desde o início da revolta contra o ditador Muammar Gaddafi, informaram a Guarda Costeiras e organizações humanitárias.

Os barcos, com eritreus, etíopes e somalis, foram desviados pela Guarda Costeira italiana para a ilha de Linosa, perto de Lampedusa, onde já se encontram milhares de imigrantes chegados de Túnis.

Uma etíope que deu à luz a bordo de um dos barcos chegados da Líbia foi socorrida por helicóptero militar italiano e levada para um hospital de Palermo, na Sicólia. Outra grávida também foi hospitalizada, mas perdeu o filho.

Uma quarta embarcação se encontra em alto-mar, rumo a Lampedusa, com 300 pessoas a bordo, segundo a imprensa italiana.

OTAN ASSUME COMANDO

Após oito dias das operações da coalizão internacional na Líbia, o secretário-geral da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), Anders Fogh Rasmussen, declarou que os EUA já repassaram à aliança o controle total da missão que implementa a resolução 1973, aprovada pelas Nações Unidas. Enquanto isso, aeronaves das potências intensificaram bombardeios à capital Trípoli e a Sirte, cidade natal do ditador Muammar Gaddafi.

Ezequiel Scagnetti/Reuters
Secretário-geral da Otan anunciou que a aliança militar já assumiu o controle total das operações da coalizão na Líbia
Secretário-geral da Otan anunciou que a aliança militar já assumiu o controle total das operações da coalizão na Líbia

Em reunião de cúpula em Bruxelas, sede da aliança militar, os 28 países-membros da Otan fecharam um acordo para implementar todos os aspectos da resolução 1973 aprovada pelas Nações Unidas.

"Os aliados da Otan decidiram assumir a operação militar na Líbia por completo, sob a resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Nosso objetivo é proteger os civis e as áreas populadas por civis sob ameaça do regime de Gaddafi. A Otan implementará todos os aspectos da resolução da ONU. Nada mais, nada menos", disse Rasmussen.

A decisão já havia sido antecipada nesta semana pelo chanceler da Turquia, Ahmet Davutoglu, após teleconferências com seus colegas dos EUA, França e Reino Unido.

COALIZÃO ATACA PELO AR, REBELDES AVANÇAM POR TERRA

Ao mesmo tempo em que a Otan selou o controle das operações, a coalizão internacional intensificou os ataques sobre a capital Trípoli, e passou a bombardear também a cidade natal do ditador Muammar Gaddafi, Sirte, para onde os rebeldes avançam por terra e onde pretendem chegar nas próximas horas, informou a emissora Al Jazeera.

Editoria de Arte/Folhapress

Após reconquistarem mais duas cidades no leste do país, Ras Lanuf e Ben Jawad, os opositores marcham agora rumo ao oeste.

A previsão é de que eles avancem sobre Sirte nas próximas 24 horas, disse o porta-voz dos revolucionários, Muhamad Mergirby. "Os rebeldes tomaram Ben Jawad e ficaram ali, não continuaram", explicou, adiantando que as tropas da oposição devem aguardar para seguir a marcha.

Após vencer os soldados leais a Gaddafi em Ajdabiyah, 160 quilômetros ao sudoeste de Benghazi (capital dos rebeldes), as forças opositoras tomaram Brega (ainda no sábado) e Ras Lanuf e Ben Jawad neste domingo.

Em seu caminho rumo ao oeste, eles percorreram em seu avanço desde Benghazi cerca de 441 quilômetros em apenas 48 horas.

Andrew Winning/Reuters
Rebelde descansa em Ras Lanuf, estratégica cidade portuária do leste retomada em confrontos no domingo
Rebelde descansa em Ras Lanuf, estratégica cidade portuária do leste retomada em confrontos no domingo

O porta-voz dos rebeldes calculou que o regime conta com cerca de 10 mil soldados, enquanto os rebeldes teriam ao menos o dobro, 20 mil. "O problema é que eles estão mais bem equipados com tanques e armas, e os rebeldes só têm armas simples", disse.

Mergirby explicou ainda que daqui até segunda os rebeldes recuperarão as forças e se abastecerão em Ben Jawad até lançar a ofensiva contra Sirte.

Andrew Winning/Reuters
Soldados rebeldes preparam ataques na cidade de Ras Lanuf, no leste da Líbia; Otan assumiu as operações
Soldados rebeldes preparam ataques na cidade de Ras Lanuf, no leste da Líbia; Otan assumiu as operações

"Agora pararam porque é perigoso, e não se movimentarão até que as forças da coalizão internacional bombardeiem primeiro as posições de Gaddafi em Sirte", explicou o representante rebelde.

SOLUÇÃO DIPLOMÁTICA

Também neste domingo o ministro de Exteriores italiano, Franco Frattini, anunciou a possibilidade de que a Itália e a Alemanha proponham um plano conjunto para uma solução diplomática da crise líbia numa cúpula em Londres com seus colegas dos países da coalizão.

"Temos um plano e veremos se poderá se traduzir em uma proposta ítalo-alemã", disse Frattini em entrevista publicada pelo jornal "La Repubblica", na qual acrescentou que essa proposta poderia se traduzir em "um documento conjunto" para ser apresentado na terça-feira em Londres.

Segundo Frattini, o primeiro ponto do plano seria o cessar-fogo, que deverá ser verificado e controlado pelas Nações Unidas, assim como o estabelecimento de um corredor humanitário permanente, no qual, disse, "já estamos trabalhando com o governo turco".

Patrick Baz/AFP
Em Ajdabiyah, cidade retomada ontem (26), rebeldes opositores comemoram com bandeiras da França e da Líbia
Em Ajdabiyah, cidade retomada ontem (26), rebeldes opositores comemoram com bandeiras da França e da Líbia

Em relação ao plano político-diplomático, Frattini destacou que sua proposta se baseia em conseguir "um forte compromisso da União Africana e da Liga Árabe", assim como o "envolvimento dos grupos tribais" líbios, com o objetivo de elaborar uma Constituição para esse país.

Sobre o possível papel de Gaddafi, Frattini destacou que depois que toda a Europa e as Nações Unidas tenham repetido que o líder líbio "não é um interlocutor aceitável, não se pode pensar em uma solução que considere sua permanência no poder".

"Outra coisa é pensar em um exílio de Gaddafi, a União Africana já se encarregou de encontrar uma solução", disse o ministro italiano.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Ford Fiesta Ford Fiesta Confira aqui! A partir de R$ 15.749

Notebook Notebook LED, HDMI e USB, a partir de 14x de R$ 62,23

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página