Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/08/2011 - 11h31

Mantega ironiza agência chinesa que rebaixou nota dos EUA

Publicidade

ANA CAROLINA OLIVEIRA
DE BRASÍLIA

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, ironizou nesta quarta-feira a decisão tomada pela agência chinesa de classificação de risco Dagong Global de rebaixar a nota da dívida dos Estados Unidos de A+ para A.

Para o ministro, os chineses deviam ter mais cuidado antes de tomar uma atitude como esta.

"Eles deviam tomar cuidado, porque o principal credor dos Estados Unidos é a China e eles estão rebaixando os títulos que eles possuem. Não é o caso de rebaixamento dos Estados Unidos, porque do ponto de vista financeiro, (o país) vai continuar sólido e cumprindo suas obrigações", disse Mantega.

Sobre a sanção do pacote fiscal pelo presidente dos EUA, Barack Obama, Mantega disse que a decisão tomada ontem não é satisfatória, mas resolve um problema imediato. O ministro disse ainda que o governo americano não deve ter condições de crescer nos próximos anos.

"Eu acredito que o governo americano não tenha condições para fomentar o crescimento da economia. Tanto nos EUA, quanto na União Europeia, a perspectiva é de uma recuperação demorada. Portanto, vai prejudicar o mundo todo", disse.

Segundo ele, apesar da crise atingir o mundo todo, nos países emergentes o impacto será menor. Ele disse ainda que o Brasil irá tomar todas as precauções para evitar que o impacto seja sentido fortemente no país.

"Nós aqui sofremos as consequências disso, embora em uma situação muito melhor. Nós temos que nos defender tomando medidas que coloquem um cordão de isolamento no Brasil para que ele não seja prejudicado por essa situação", afirmou Mantega.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página