Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/03/2013 - 02h29

Aécio ataca Dilma em procissão da Sexta-Feira Santa em São João Del Rey

Publicidade

PAULO PEIXOTO
DE BELO HORIZONTE

Virtual candidato tucano a presidente, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) voltou a atacar a presidente Dilma Rousseff na noite desta sexta-feira (29), ao dizer que o governo promove mais um "trem da alegria" em busca de apoio político e faz reforma ministerial para garantir mais tempo na propaganda eleitoral.

Os ataques de Aécio à presidente ocorreram em São João Del Rey, onde ele participou da Procissão do Enterro, celebração da Sexta-Feira da Paixão, uma tradição na família Neves iniciada pelo seu avô Tancredo.

Para o tucano, o governo Dilma "se entregou à lógica da reeleição" e, nessa linha, a reforma de ministérios "serve para aumentar os custos e garantir alguns segundos a mais de propaganda eleitoral para a atual presidente".

Aécio voltou a repetir que o governo "privilegia a propaganda oficial" e que "optou pelo marketing", ao invés de enfrentar os problemas do país, como na segurança e na educação.

Ele disse que tramita no Congresso "mais um trem da alegria, mais 3.000 cargos", que, conforme disse, serão nomeados para "garantir mais apoios nessa paquidérmica base de sustentação do governo, apenas para garantir apoio para a presidente".

Aécio disse concordar com o ex-governador Alberto Goldman (PSDB-SP) --aliado do também ex-governador paulista José Serra, desafeto do mineiro no partido- que a candidatura presidencial só deve ser definida em 2014.

"Não está na hora de o PSDB ter candidato a presidente", disse Aécio, que alega que o momento é de cuidar das questões internas do partido, ouvir as pessoas e "construir um projeto", afirmou.

Ele acrescentou: "Quem está em campanha e utilizando de forma imprópria e abusiva os instrumentos de governo é a presidente da República".

Sobre o apoio de Serra, Aécio disse ter ainda "muito tempo pela frente" e que respeitas as "posições, a inteligência e o tempo de cada um".

"Eu estou sereno. O importante nesse momento é a unidade do partido", disse ele, que participou durante três horas e meia da Procissão do Enterro, que se estendeu até o começo da madrugada deste Sábado de Aleluia.

Aécio disse que o PSDB "só vai disputar [a Presidência] com reais possibilidades de vitória no momento em que estiver unido". Segundo ele, essa unidade se conquistará com o "espírito público" dos tucanos, entre eles José Serra, que o mineiro citou nominalmente.

"Eu tenho muita confiança, independentemente de quem venha a ser o candidato do partido, que, na hora certa, o PSDB vai estar unido, vai agregar outras forças em torno desse projeto e nós vamos disputar com muitas possibilidades a Presidência-apesar da grande propaganda oficial", disse.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

TV LED TV LED HDMI, Full HD a partir de R$ 899,90

Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página