Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/04/2013 - 03h00

CNBB não comenta polêmica com Feliciano e pede 'valorização' de comissão

Publicidade

DO ENVIADO A APARECIDA (SP)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) evitou se pronunciar ontem sobre a permanência do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) à frente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, mas exortou o Congresso a "valorizar" o órgão.

"Não me parece que a CNBB tenha intenção de se pronunciar, a não ser no sentido de insistir cada vez mais que a Comissão de Direitos Humanos seja valorizada pelo próprio Congresso", disse ontem d. Dimas Barbosa, porta-voz da entidade, durante o 51º encontro anual da CNBB, em Aparecida (SP).

Bispos brasileiros se reúnem em Aparecida (SP)
Trabalhos de comissão vão de 'vento em popa', diz Feliciano
Com novos tumultos, Feliciano volta a fechar reunião de comissão
Feliciano diz que não vai falar mais de política em cultos evangélicos

Por outro lado, Barbosa discordou da declaração de Feliciano, feita em 2011 via Twitter, segundo a qual os africanos foram amaldiçoados por Noé. "Na realidade, nós é que levamos problemas", disse.

O encontro da CNBB é o primeiro sob o papado de Francisco e acontece às vésperas da Jornada Mundial da Juventude.

Na pauta, os principais temas estão comunicação, a configuração de uma nova paróquia, a questão agrária e a participação da Igreja Católica nas eleições.

Os bispos devem aprovar, durante o evento, um documento, em discussão há mais três anos, sobre estratégias de comunicação da igreja, que, no Brasil e em outras partes do mundo, sofre com a evasão de jovens, a falta de vocações e a concorrência das igrejas pentecostais. (FABIANO MAISONNAVE)

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

TV Smart TV Smart HDMI, LED, Full HD a partir de R$ 999,99

Refrigerador Refrigerador Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página