GÉSSICA BRANDINO
DE SÃO PAULO

O presidente Michel Temer esteve nesta quinta-feira (11) no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para consultas médicas.

De acordo com o médico Roberto Kalil Filho, Temer passou por consultas de rotina para acompanhar o resultado dos procedimentos cardiológicos e urológicos realizados no ano passado. Segundo Kalil, o presidente está bem e não há necessidade de novas intervenções nos próximos dias.

Aos 77 anos, o mais velho presidente da história do Brasil, Temer sofreu três intervenções médicas nos últimos meses : para conter um sangramento na próstata, colocar um stent em artérias coronárias e desobstruir a uretra.

Com o quadro médico, os compromissos oficiais programados para as próximas semanas estão em suspeição. Há dúvidas, por exemplo, se ele participará do Fórum Econômico Mundial, marcado para o fim de janeiro, em Davos (Suíça).

Questionado se Temer está em condições de comparecer ao evento internacional, Kalil respondeu simplesmente que o presidente está bem e que a agenda dele é uma questão do Planalto.

Além do cardiologista, o presidente foi acompanhado pela equipe do urologista Miguel Srougi.

A SAÚDE DE TEMER

2011
Vice-presidente, Temer faz cirurgia para tratar de um quadro de crescimento benigno da próstata. Na ocasião, há pequeno estreitamento do canal uretral, levando-o a ter ligeira dificuldade de urinar

25.OUT.2017
Temer sente retenção urinária total e apresenta sangramento. É socorrido no hospital do Exército, em Brasília, onde põe uma sonda

27.OUT.2017
Em São Paulo, o presidente passa por uma cirurgia de raspagem da próstata no hospital Sírio-Libanês. São feitas biópsias da próstata e da bexiga para detectar tumores -ambos descartados. Ele retira a sonda

24.NOV.2017
Com três artérias coronárias obstruídas em 90%, Temer passa por uma cirurgia em São Paulo. Médicos fazem implantes de stents -dispositivo que possibilita melhor circulação no sangue

13.DEZ.2017
A retenção da urina volta e o presidente é submetido a uma cirurgia para desobstrução da uretra. Ele põe nova sonda, prevista para ser retirada em três semanas

30.DEZ.2017
Temer retira a sonda. Com febre, o presidente apresentou um quadro de infecção urinária e repousa. Tem tomado antibióticos e os exames têm resultados normais, segundo os médicos

PRÓXIMOS PASSOS
Nos próximos meses, Temer terá sessões semanais de dilatação da uretra, com a introdução de sondas plásticas de calibre progressivo. O objetivo é aumentar ou estabilizar o diâmetro interno do canal uretral

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.