Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/06/2011 - 22h44

Ibama fecha mais três madeireiras em Nova Ipixuna (PA)

Publicidade

FELIPE LUCHETE
DE BELÉM

O Ibama fechou nesta quarta-feira (1º) mais três madeireiras em Nova Ipixuna, no sudeste do Pará, em operação montada após a morte de três pessoas num assentamento extrativista da cidade.

Uma das madeireiras já havia sido multada 18 vezes, de 1997 a 2010. A Serraria Tico-Tico Ltda. foi embargada em junho do ano passado, segundo o Ibama, e continuava funcionando irregularmente.

Operação do Ibama fecha madeireiras em Nova Ipixuna (PA)

Também foram multadas e embargadas a S.C.Santos Madeira Ltda. e a Paulo Mendes Souza e Cia Ltda., por extração de madeira ilegal e descumprimento de exigências da licença ambiental. No total, as multas chegaram a R$ 752,3 mil.

A Folha não conseguiu localizar representantes das empresas.

Todas as madeireiras da cidade já foram multadas mais de uma vez. Na segunda e na terça, o Ibama fechou outras duas. A autarquia divulgou que, desde sábado (28), destruiu fornos ilegais de carvão e multou assentados que apoiaram a extração irregular da floresta amazônica.

MORTES

O líder extrativista José Claudio Ribeiro da Silva e a mulher, Maria do Espírito Santo da Silva, foram assassinados no dia 24, em uma estrada de terra que liga o Assentamento Agroextrativista Praialta Piranheira à área urbana de Nova Ipixuna.

Eles já haviam aparecido em lista de ameaçados de morte elaborada no ano passado pela CPT (Comissão Pastoral da Terra).

No sábado, foi encontrado no assentamento o corpo de Eremilton Pereira dos Santos, 25. Segundo a polícia, a morte dele não está ligada à do casal.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página