Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Acompanhe a sãopaulo no Twitter
15/08/2010 - 02h34

Maria Alice Vergueiro volta aos palcos em "As Três Velhas"

Publicidade

MARIA LUÍSA BARSANELLI
DE SÃO PAULO

Divulgação
Luciano Chirolli e Pascoal da Conceição (foto) vivem velhas que são vigiadas pela centenária criada Garga
Luciano Chirolli e Pascoal da Conceição (foto) vivem velhas que são vigiadas pela centenária criada Garga (Maria Alice)

A atriz Maria Alice Vergueiro já conhecia o trabalho irreverente do chileno Alejandro Jodorowsky nos anos 1960, quando integrava o Teatro Oficina. Mas o primeiro encontro entre os dois foi em 2007, durante a mostra Festival Jodorowsky, no CCBB. O cineasta e também tarólogo fez uma sessão de leitura de cartas e disse a Maria Alice que ela teria um parceiro forte.

"Quando eu falei que tinha muita vontade de conhecê-lo, ele comentou: 'Quem sabe serei eu?'". Coincidência ou não (o vídeo do encontro está em bit.ly/astresvelhas), a atriz, conhecida por muitos pelo curta "Tapa na Pantera" (2005), mergulhou há dois anos no trabalho de Jodorowsky e dirige um texto do chileno, "As Três Velhas", que estreia na sexta (dia 20), no CCBB.

A peça até agora só teve uma montagem com títeres, na Bélgica. A história fabulesca retrata duas marquesas decadentes e octogenárias. Melissa (Luciano Chirolli) e Graça (Pascoal da Conceição) vivem em uma mansão em ruínas e são vigiadas pela centenária criada Garga (Maria Alice). Parecem ser salvas da decadência ao receberem um convite para se tornarem garotas-propaganda. Elas ainda são cercadas por uma figura dúbia e misteriosa.

Vídeo


Centro Cultural Banco do Brasil - teatro R. Álvares Penteado, 112, região central, tel. 3113-3651. 125 lugares. Sex. e sáb.: 19h30. Até 31/10. Ingr.: R$ 15. 70 min 14 anos. Estac. (R$ 10 p/ 5 h mais h adicional, na r. da Consolação, 228 c/ serviço de van grátis até o CCBB). Ingr. p/ tel. 0/xx/11/4003-1212 ou p/ site www.ingressorapido.com.br. www.bb.com.br/cultura

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página