Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
Publicidade

Serafina

Criadora de série da MTV, Mareu fala sobre botox e fama relâmpago

Mais opções
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
  • RSS

Maria Eugênia Suconic voltou da Flórida faz menos de 30 horas. Passou uma semana embrenhada na selvageria de outlets de Orlando e de Miami. Voltou com as malas cheias de compras, inclusive uma batedeira profissional, e com a conta mais cheia: ela foi contratada para viajar e publicar vídeos e fotos dos garimpos nas redes sociais.

Mesmo com jet lag, a apresentadora de 30 anos chega para a sessão de fotos, na manhã de um feriado nublado, com a efusividade que a maioria dos profissionais de TV só invoca quando a luz vermelha das câmeras é ligada. Pudera: Mareu está na maré alta profissional e se consolida como uma marca que atrai anunciantes para se comunicar com a juventude.

"Adotada", o programa que ela criou para MTV, em que passa uma semana com uma família exótica por episódio, chegou ao fim da quarta temporada após ter sido indicado ao Emmy internacional em 2016. No programa, Mareu usa roupas extravagantes na roça e ralha com um pai homofóbico, na frente do filho gay da família.

A quinta temporada do programa não foi confirmada, talvez por vontade dela.

"Eu não sei se [o programa] tem data de validade ou não, mas busco coisas diferentes. Fazer uma temporada fora do Brasil, por exemplo."

Era a segunda vez que ela mencionava planos de morar fora do Brasil.

"Eu dou essa indireta pra ver se o pessoal da MTV vai ler e vai rolar."

Difícil acreditar que o canal não dê ouvidos a quem quintuplicou a audiência do horário.

Pânico e fama

A vida pública dela começou em 2012. Com 25 anos apareceu na TV pela primeira vez, num reality que procurava um amor para Supla. Ela representava uma ex-namorada maldosa do roqueiro, com quem só tinha tido um teretetê que nunca chegou a ser um relacionamento. Desancou as candidatas, chamou a atenção e foi convidada a ser repórter de outro programa do canal. Na quarta matéria, largou o microfone. "Eu não tinha nada a ver com aquilo." Achou que sua carreira televisiva tivesse acabado por aí.

Meses depois, veio uma ligação do canal, dizendo que queriam fazer algo com ela. Ela bolou o programa, que foi comprado de imediato, com o então namorado.

A fama chegou logo em seguida, e o primeiro contato ficou entre o comovente e o assustador.

"Tava comprando uma 'brusinha'. Uma menina veio tremendo e chorando pedir pra tirar foto comigo. Achei que fosse ter um ataque de pânico." O pânico, com que ela se digladiou por anos, não voltou e a fama cresceu. Chegou auge no mês passado, quando esteve no castelo de "Caras".

Enquanto já está se acostumando à celebridade, a bonança da internet é novidade. "Não vinha nada, quando veio, veio tudo de uma vez: Coca-Cola, Avon Tá rolando. Pro orçamento é maravilhoso!" Um post custa dezenas de milhares de reais. O preço que varia de acordo com o tipo de ação e a bala na agulha do anunciante.

Além dos anúncios, suas redes sociais são repletas de seu cão, um lulu da Pomerânia, e do noivo, o ator André Bankoff, de quem era amiga há anos antes de engatar um romance que começou numa noite de bebedeira. Até o pedido de casamento foi comunicado online e envolveu muitas marcas. "O pedido foi no carro, comendo McDonald's, e não foi jabá!" Suconic publicou uma foto no Instagram em que contava a novidade e mencionava o joalheiro que fez a aliança. Propaganda? "Agradecimento! Não teve nem desconto."

Semanas antes, tinha postado uma foto com três latas de Coca-Cola. Essa sim era publicidade "Mas garanto que é o 'publi' mais gostoso que eu já fiz", escreveu sob a foto. Ela diz que de fato usa tudo o que anuncia, mas há algum produto que recusaria? "Não sei, vai que eu tô quebrada amanhã", e ri.

Um grande truque

Parte do carisma vem de rir não só dos outros, mas de si mesma. Como quando fala de beleza. O cabelo não é só tingido de ruivo, como também ganha reforço de mechas costuradas no alto da cabeça, o tal megahair. "Ninguém tem volume o suficiente para ter cabelo de revista", diz ela, que gargalha enquanto define a beleza de revista como "um grande truque".

Um truque que ela domina, mas não esconde. "Eu faço e assumo. Olha uma foto minha de cinco anos atrás: mudou o dente, mudou o nariz, agora tem queixo." Arranjou um médico ótimo, o mesmo de Anitta, que faz um abatimento nos procedimentos, como preenchimento de boca e de nariz. "Eu descobri botox, preenchedor, sei lá o que e fui de cabeça. Já fiquei com a boca torta, olho umas fotos que falo 'Meu Deus!'."

Seu limite são procedimentos definitivos.Um dia antes da entrevista, ouviu de alguém que estava ficando com bico de pato. "Fazer o quê? Eu faço pra mim, não faço pros outros."

A mesma ousadia está na sua visão da onda de denúncias de assédio sexual que está quebrando em Hollywood. "Não aconteceu comigo, mas eu acho maravilhoso! Quero que essa onda venha logo para o Brasil, porque aí vai ser uma merda federal."

Mais opções
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
  • RSS

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade
[an error occurred while processing this directive]

Envie sua notícia

Siga a folha

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Voltar ao topo da página