Publicidade
Publicidade
Publicidade

Atitudes simples podem minimizar danos da luz das telas na saúde

Ar-condicionado, luminosidade excessiva e computadores formam, para oftalmologistas, um ambiente hostil —ou, para o resto do mundo, um escritório padrão.

Ficar horas a fio em frente a uma tela luminosa, particularmente, pode afetar a visão das pessoas, mas com pequenas alterações é possível minimizar os danos.

Segundo Pedro Antonio Nogueira Filho, oftalmologista do Hospital de Olhos Paulista, a intensidade da luz das telas desencadeia um efeito no sistema nervoso central que aciona o que se chama de atenção ativa.

"Essa atenção inibe mecanismos autônomos, que não precisamos pensar para que aconteçam. Um deles é o piscar", diz. Em condições normais, uma pessoa pode piscar até 20 vezes num minuto. Na frente do computador, porém, pode ficar minutos sem fazê-lo, não hidratando, assim, os globos oculares. "Isso compromete a transparência da córnea, o que leva a gente a enxergar menos."

Outros sintomas são sensação de areia no olho, ressecamento, vermelhidão e lacrimejamento, diz Newton Kara Junior, oftalmologista do Hospital Sírio-Libanês.

É possível, também, ficar com a sensação de olhos cansados. "As pálpebras começam a pesar ao longo do dia. Literalmente, uma manifestação de sono antes do período que deveria acontecer", diz Nogueira Filho.

Geralmente, o desconforto é passageiro, e os danos à saúde ocular, reparáveis. Se não houver cuidado, porém, a pessoa com problema de lubrificação dos olhos pode apresentar quadros inflamatórios ou ter distúrbios de visão, como borramento.

Para minimizar os danos, é preciso mudar a iluminação do ambiente. "Quanto mais luz, menos a claridade da tela vai incomodar", explica Kara Junior.

Sempre que possível, a luz natural, vinda das janelas, deve ser favorecida. "Ela cansa menos os olhos", afirma Marcelo Cavalcante Costa, oftalmologista do Hospital Samaritano Higienópolis.

E quando lâmpadas artificiais forem necessárias, a melhor opção é espalhar pelo escritório focos de luz. "Com o advento do LED tudo é muito claro, muito excessivo", diz Nogueira Filho.

Ajustar as configurações do monitor é o próximo passo: a luz deve ser a mais branda possível para que o profissional realize suas atividades de forma que o stress por excesso de iluminação seja evitado. "É como você pedir para alguém ficar de olhos abertos diante de uma lanterna. Vai incomodar. É um estímulo que gera transtornos", explica Nogueira Filho.

E a mais simples das dicas: lembrar de piscar. Se não der, o ideal é fazer pausas de hora em hora e aproveitar para ver ao longe —olhar muito tempo para um ponto próximo pode levar a um problema de foco na visão.

Hidratar os olhos ao longo do dia também ajuda. "A primeira coisa é usar um lubrificante ocular, eles podem ser adquiridos sem receita. A cada hora você pode pingar uma gota nos olhos", diz Marcelo Cunha, da Clínica de Olhos Dr. Moacir Cunha.

SENTINDO NA PELE

A claridade que emana das telas é o que se chama de luz visível: no espectro eletromagnético está entre a radiação ultravioleta e o infravermelho. Antes, acreditava-se que só a ultravioleta fazia mal para a pele, segundo a dermatologista Maria Valéria Bussamara Pinheiro.

"Mas nos últimos anos estudos mostraram que a luz visível, penetrando na pele, tem efeito na produção de radicais livres -gerando substâncias que degradam o colágeno e acelerando o envelhecimento da pele- e de melanócitos [células produtoras de melanina]", diz ela.

Para se proteger contra esse tipo de luz, é necessário procurar protetores solares com filtros físicos, que contêm substâncias como dióxido de titânio ou óxido de zinco, capazes de refletir os raios em vez de absorvê-los.
Esses filtros costumam ser encontrados em protetores grossos -como os infantis- ou com cor. "Por terem pigmentos, acabam protegendo melhor contra a luz visível."

COMO MINIMIZAR EFEITOS DAS TELAS NA SAÚDE

-A extremidade superior da tela do computador deve ficar ou na linha dos olhos ou abaixo dela. Se estiver mais alta, temos que olhar para cima, expondo mais a superfície do olho e aumentando o ressecamento

-Ajuste a luminosidade da tela para a mais branda possível. A luz deve ser apenas forte o suficiente para que você consiga fazer seu trabalho naquele ambiente

-A cada 45 ou 50 minutos, levante-se, procure uma área ampla e olhe ao longe. Isso ajuda a equilibrar sua capacidade de foco dos olhos

-Tente lembrar-se de piscar com mais frequência quando estiver de frente ao computador

-Pingue um colírio lubrificante indicado por um oftalmologista: cada pessoa pode precisar de um tipo diferente

-A distância ideal da tela do computador para os olhos é de 60 centímetros

-Caso sinta algum desconforto, procure um oftalmologista

-Utilize protetor solar com filtros físicos, que costumam ser encontrados em cremes mais grossos, como os infantis, ou os com cor

Publicidade
Publicidade
Publicidade