Publicidade
Publicidade
Publicidade

Marcas de tinta apostam em cores acinzentadas e terrosas para 2018

Tons terrosos e acinzentados, como verde escuro e rosa queimado, foram escolhidos como tendência para o próximo ano por quatro marcas nacionais de tinta.

A Suvinil elegeu a cor "terra roxa", que para a consultora de tendências da marca, Ana Kreutzer, pode ser usada na casa toda, mas combina mais com a sala. De acordo com ela, por lembrar a tonalidade do barro, passa uma mensagem positiva, "de fazer algo com as mãos", diz.

A Eucatex escolheu o tom "eucalipto", um verde escuro acinzentado que "traz natureza e esperança", segundo Patrícia Sant'Anna, fundadora da consultoria Tendere, dona da pesquisa que resultou na tonalidade. Para ela, a cor sugere maturidade por ser fechada e sóbria.

"Escolher a tinta do ano é escolher o que as pessoas buscam para a vida delas", afirma.

Mais alegre, com uma mistura de verde e azul, a tonalidade "melodia do mar" foi eleita pela Sherwin-Williams para representar 2018. Para a gerente de marketing da marca, Patrícia Fecci, o azul é uma cor básica, que demonstra a busca por estabilidade.

O designer de interiores Luiz Normand usaria o tom em um quarto ou cozinha, por ser vibrante.

Ele indica pintar uma só parede do ambiente com cores fortes e combinar com branco ou cinza.

A única marca que saiu dos tons naturais foi a Coral, com a cor "adorno rupestre", um rosa acinzentado e claro. De acordo com a marca, a ideia é fazer com que a casa fique mais acolhedora. "Em tempos de insegurança, o lar se torna mais importante", diz Fernanda Figueiredo, gerente de cores e comunicação da AkzoNobel Tintas Decorativas, que fabrica a Coral.

A tonalidade ganhou destaque desde que a Pantone, empresa que cataloga cores, elegeu o "rosa quartzo" como a tendência para o ano de 2016. Desde então, o rosa saiu do quarto de meninas para entrar também nas áreas sociais da casa.

Para conciliar as cores do próximo ano com a decoração, o arquiteto Marlon Gama recomenda pensar na combinação de roupas. "Se tiver dúvida, imagine se você se vestiria com aquelas cores juntas", afirma.

PANTONE

A cor do ano escolhida pela Pantone, que vira referência para a indústria de decoração e vestuário, só vai ser anunciada na primeira quinzena de dezembro.

Segundo Blanca Lliahnne, diretora-executiva da marca no Brasil, um assunto percebido pela empresa como tendência para o próximo ano é uma nova espiritualidade para enfrentar os tempos difíceis.

A empresa costuma associar espiritualidade a tons de violeta e lavanda, mas Lliahnne afirma que estilistas europeus também estão conectando o tema a tons "nude", neutros e claros. Porém, ela destaca que a cor do ano só é decidida um dia antes do lançamento.

Para eleger a tonalidade, a Pantone leva em conta o trabalho de estilistas, tendências de mercado e a aceitação da tonalidade pela indústria e consumidores.

PASSADO

Assim como há tendências, também existem cores que devem ser menos vistas em 2018.

Segundo o designer Luiz Normand, o cinza com tom de concreto queimado, onipresente nos projetos dos últimos anos, "já deu uma cansada". Sua combinação com o amarelo-ovo, popular principalmente nas cozinhas, deve sair de cena. Ele também acredita que o roxo no tom de berinjela foi muito usado e agora vai aparecer menos.

O branco segue forte, segundo o arquiteto Marlon Gama, e aparece em tons que vão do quase cinza ao quase bege, sem ser totalmente branco.

Publicidade
Publicidade
Publicidade