Publicidade
Publicidade
Publicidade

centro

Arte de rua renova largo do Arouche e inspira empreendimentos

No centro de São Paulo, uma ave mergulha, de bico, em direção ao solo. É a fênix pintada pelo grafiteiro Speto, em um prédio no largo do Arouche, na República.

"A ideia da fênix é justamente para apontar essa relação com o renascimento do centro, de uma cidade que vive constantemente superando seus dramas e se reinventando", conta o artista, que realizou a obra em parceria com o italiano Never 2501.

O movimento de renovação da região não passou despercebido pelas incorporadoras, que, nos últimos anos, ergueram prédios no largo e no seu entorno.

Flavio Florido/Folhapress
O meia Lucas Lima, do Santos, comemora seu gol na vitória sobre o Corinthians, por 1 a 0, na Vila Belmiro (SP), pelo Campeonato Brasileiro
Mosaico de Di Cavalcanti visto da obra do Setin Downtown São Luís, na praça da República (centro)

Nos últimos dois anos, foram lançados cinco empreendimentos na República, com predominância dos apartamentos de um dormitório, segundo o portal Imovelweb.

Um exemplo é o Setin Downtown República, com apartamentos que vão de 27 a 49 metros quadrados.

Localizado na praça da República, usa a proximidade do metrô como chamariz e um enorme painel do artista plástico Claudio Tozzi em sua entrada como diferencial.

"Começamos a desenvolver essa ideia do painel porque queríamos remeter aos painéis e mosaicos do Di Cavalcanti [1897-1976] que estão espalhados pelo centro", conta Eduardo Pompeo, diretor de incorporação da Setin.

Com entrega prevista para fevereiro de 2018, o empreendimento tem imóveis com valor a partir de R$ 312 mil.

Outro empreendimento da incorporadora, o Setin Downtown São Luís, se aproveita ainda mais da vocação artística do centro. Um dos destaques do prédio, segundo a construtora, é a "vista frontal para um dos painéis mais famosos" de Di Cavalcanti, ex-morador ilustre do bairro.

A obra em questão é o mosaico "Imprensa", localizado na proximidade da esquina da rua da Consolação com a avenida São Luís, que retrata o processo de produção de um jornal e fica na antiga sede do "Estado de S. Paulo".

O prédio terá estúdios de 18 a 20 metros quadrados e deve ser entregue no próximo mês. O valor é de R$ 11.140 por metro quadrado.

ENTORNO

O sentido de compromisso com o entorno também perpassa o projeto do BK30, no largo do Arouche, a poucos metros do grafite de Speto.

"Preocupamo-nos que ele convidasse o público em geral a usufruir do empreendimento", diz José Roberto Leite, diretor de incorporação da incorporadora BKO, que prevê entrega do prédio em março, com unidades de 28 a 48 metros quadrados. O valor dos apartamentos é a partir de R$ 322 mil.

"A ideia é oferecer um produto que esteja em sintonia com essa revitalização do centro", diz Leite.

Flavio Florido/Folhapress
O meia Lucas Lima, do Santos, comemora seu gol na vitória sobre o Corinthians, por 1 a 0, na Vila Belmiro (SP), pelo Campeonato Brasileiro
Obra do grafiteiro Speto no largo do Arouche, no centro de SP; atrás, empreendimento BK30, da BKO

Diretor criativo de uma marca de sprays para grafite, Davi Neri, 31, morou no centro quase sua vida inteira. Criado no Bom Retiro, deixou a região apenas por três anos para morar na zona norte. Voltou, dessa vez para um apartamento nas proximidades da praça da República.

"A minha inspiração para fazer o que eu faço vem do centro, desde que sou criança", afirma.

"Tem as papelarias mais antigas da cidade, faculdades de arquitetura, um polo de criadores interessante. Sem dúvida é um lugar muito inspirador", continua.

Ele diz ainda gostar do perfil mais "caótico" do centro, que mistura arte de rua, gente de todos os estilos e uma agitada vida noturna. "A Vila Madalena, por exemplo, é domesticável, o centro, não. Por mais que os negócios e novos prédios transformem o lugar, a organização fica só da porta para dentro. A rua continua sendo o caos."

Publicidade
Publicidade
Publicidade