Publicidade
Publicidade
Publicidade

centro

Novos empreendimentos fazem as pazes com o Minhocão

Erguida entre prédios, cortando o centro de São Paulo e sombreando importantes vias, a obra rebatizada de elevado Presidente João Goulart e popularmente conhecida como Minhocão seu entorno com desvalorização imobiliária desde sua inauguração, em 1971.

Após décadas de degradação dos arredores, agora com perspectivas de renovação, as atenções de construtoras e incorporadoras vão, aos poucos, voltando-se para as proximidades da via que, com 3,4 quilômetros de extensão, faz parte da ligação leste-oeste da capital.

Em uma das extremidades, na rua Amaral Gurgel, perto da Consolação, um desses novos empreendimentos terá vista para o elevado. Trata-se do Bem Viver Centro Consolação, que deve iniciar as vendas em outubro. A estimativa da incorporadora Magik JC, à frente do projeto, é que a conclusão da obra leve 18 meses.

Marcelo Justo/Folhapress
Metralhadora antiaére ausada no ataque ao traficante Jorge RafaatToumani,morto em junho de 2016 no Paraguai.
Minhocão visto a partir do empreendimento Cosmopolitan Santa Cecília

O prédio reúne 95 apartamentos com duas plantas –um ou dois dormitórios com 25 e 36 metros quadrados, respectivamente– e é voltado ao público do programa Minha Casa, Minha Vida, com preços que partem de R$ 175 mil. Nas áreas comuns do edifício, os moradores terão sala de ginástica, lavanderia, playground, bicicletário e um solário no décimo andar.

"A ideia é oferecer moradia acessível no centro, onde há oferta de equipamentos de transporte, lazer, cultura e vias de acesso à cidade inteira", diz André Czitrom, sócio-colaborador da Magik JC.

Na opinião de Czitrom, o público da região já vê o elevado como um parque, principalmente aos domingos –quando está fechado para carros–, mas essa é apenas uma entre muitas mudanças que ocorreram nos últimos anos. "Há novos comércios, restaurantes, bares. Arquitetos estão pensando em soluções para o centro, a Escola da Cidade está ali, bem como iniciativas de moradores."

Outro novo empreendimento na área, o Cosmopolitan Santa Cecília, fica no encontro da avenida São João com a rua Helvétia, diante do viaduto. Com apartamentos de um dormitório com 35 ou 50 metros quadrados, o edifício deve ser entregue em fevereiro de 2018. "A maior parte do público é de estudantes e profissionais que trabalham na região", afirma Ricardo Moraes, diretor comercial da incorporadora MAC.

Para driblar alguns inconvenientes da via elevada, as unidades vendidas a partir de R$ 349 mil não ocupam os três primeiros andares do prédio, onde ficam seis lojas e as vagas de garagem. Apesar disso, Moraes ressalta que, para os compradores, o endereço não é um problema. "Muitas pessoas enxergam o Minhocão como algo positivo do jeito que ele é hoje, como uma área para o lazer."

Para Elaine Cristina Cruz, 52, funcionária dos Correios, que comprou um apartamento no Cosmopolitan Santa Cecília, a localização tem mais prós do que contras. Ela gosta da vista ampla e especialmente de "poder fazer tudo a pé pela vizinhança".

Para o arquiteto Felipe Rodrigues, membro da Associação Parque Minhocão e morador da região, "infelizmente, ainda não dá para dizer que o Minhocão está despertando interesse". Apesar disso, vê como positivo o fato de prédios divulgarem sua localização como "diante do Parque Minhocão". Outro ponto positivo, diz ele, é a chegada ao centro de projetos que se encaixam nos moldes do Minha Casa, Minha Vida. "Antes, as iniciativas voltadas para moradia popular ficavam limitadas às periferias."

santa x bela

Publicidade
Publicidade
Publicidade
DFP -->